Pular para o conteúdo principal
BID aprova US$120 milhões para projeto de biocombustíveis no Brasil

A Diretoria Executiva do Banco Interamericano de Desenvolvimento aprovou hoje o primeiro financiamento ao setor privado para um projeto de bioenergia no Brasil, num total de US$120 milhões, para a Usina Moema Açúcar e Álcool Ltda. A usina, com sede no estado de São Paulo, é um importante produtor de açúcar, etanol e bioenergia e opera num dos setores de mais rápido crescimento no Brasil e no mundo.

Essa operação é parte da iniciativa do BID para promover a estruturação do financiamento da dívida privilegiada de cinco projetos brasileiros de produção de etanol, que terão um custo total de US$997 milhões. Esses investimentos contribuirão para a meta do Brasil de triplicar a produção anual de etanol até 2020.

O BID também apóia a meta do governo brasileiro de tornar-se um centro mundial de excelência para a pesquisa e o desenvolvimento em biocombustíveis. O Banco está mantendo conversações com autoridades brasileiras com o objetivo de facilitar a transferência de tecnologia e assistência técnica para que outros países da região possam beneficiar-se do know-how do Brasil.

“Em anos passados, o crescimento acelerado da Moema foi financiado principalmente por dívida de curto e médio prazo”, disse o líder de equipe do BID Leandro Alves. “A Moema está agora em processo de refinanciar até US$120 milhões dessa dívida por meio de um pacote de financiamento oferecido pelo BID.”

O pacote compreende um empréstimo do BID de até US$40 milhões com recursos do capital ordinário do Banco e US$80 milhões de co-financiamento por parte de bancos comerciais.

“A transação ajudará a Moema a aumentar de aproximadamente 10 meses para 6,6 anos a duração média da dívida que está sendo refinanciada”, explicou a outra líder de equipe do BID, Sylvia Larrea. “Em conseqüência, melhorará o perfil da dívida da empresa, tornando-o mais compatível com a natureza de longo prazo de seus ativos e aumentando a sua sustentabilidade”, acrescentou Larrea.

A operação permitirá que a Moema redirecione fundos atualmente usados no serviço da dívida de curto prazo para financiar o seu plano de investimento de capital, incluindo projetos destinados a impulsionar a produção de açúcar, etanol e co-geração de energia a partir da biomassa (bagaço).

A iniciativa do BID para o setor privado atua como um catalisador ao possibilitar financiamento nos prazos mais longos requeridos pela empresa e, ao mesmo tempo, mobilizar fundos privados na forma de co-financiamentos. A exigência de implantação do Sistema de Gestão Ambiental e Social do BID assegura uma boa administração de possíveis impactos ambientais, sociais, sanitários, trabalhistas e de segurança.

Jump back to top