Pular para o conteúdo principal
Um educador que ama a televisão

Os filhos de Tito Manuel Callero poderiam ser alunos de uma escola secundária regular, a poucos quarteirões de sua casa em Cuernavaca, México. Em vez disso, ele os leva de carro uma hora todos os dias até a cidade de Coajomulco, onde a escola local oferece ensino auxiliado pela televisão visando as crianças de baixa renda da zona rural. Segundo ele, a escola rural é melhor.

Calleros deve saber o que está dizendo, já que ele é diretor da escola de Coajomulco e um grande incentivador do conceito de educação a distância que revolucionou o ensino secundário na zona rural do México.

"Todos os meus filhos estudaram em Coajomulco e são todos profissionais", disse Callero a David Mangurian, do BIDAmérica. "Dois já receberam seus diplomas de mestrado. Essa é a melhor resposta que posso dar." O programa Telesecundaria do México permitiu a centenas de milhares de crianças da zona rural completar a sétima, oitava e nona séries, dando-lhes um sólido começo na vida e melhores perspectivas de emprego.

Além disso, as evidências apóiam a asserção de Callero de que o ensino auxiliado pela televisão pode ser melhor do que o ensino tradicional na sala de aula. Um estudo do Instituto para Pesquisa de Comunicação da Universidade de Stanford (Califórnia) descobriu que os estudantes da Telesecundaria possuíam aptidões analíticas superiores às de seus colegas urbanos. Dados comparativos adicionais estarão disponíveis a partir de testes nacionais que serão aplicados no próximo ano como parte de um programa de US$8 milhões financiado pelo BID para melhorar o sistema da Telesecundaria.

"A televisão é um meio muito poderoso", disse Calleros. "O professor mais eloqüente não consegue competir com a imagem da tevê."
 

Jump back to top