Pular para o conteúdo principal
Sinopse

Defesa das reformas

Embora a América Latina continue acossada por inúmeros problemas, os países que realizaram reformas econômicas estão caminhando na direção certa - foi o que afirmou o economista do BID Eduardo Lora aos participantes de uma reunião internacional de economistas em Havana, Cuba, em janeiro passado. Segundo Lora, essas reformas prepararam o caminho para o crescimento econômico e são ainda apoiadas pela maioria dos eleitores. A reunião "Globalização e Problemas do Desenvolvimento" realizou-se em meio à desvalorização da moeda brasileira.

Ajuda para os cegos

Uma organização espanhola lançou uma série de iniciativas na América Latina para proporcionar aos cegos maior acesso à educação e ao emprego. Entre os projetos anunciados recentemente pela Organização Nacional Espanhola de Cegos está a instalação de cabinas telefônicas no Equador para possibilitar aos cegos vender os seus produtos e um projeto no Chile de preparar locais especiais a ser usados por vendedores cegos. A organização, que tem o apoio do BID e de outras agências internacionais e nacionais, começou a trabalhar na América Latina no ano passado. A sua principal fonte de financiamento é a loteria espanhola.

Cooperação no campo das drogas

O BID comprometeu-se a aumentar o seu apoio para reduzir a oferta e a procura de drogas ilícitas na América Latina e no Caribe. Segundo um acordo firmado em janeiro em Viena, Áustria, com o Programa das Nações Unidas para o Controle de Drogas, o Banco contribuirá para a solução do problema da droga com o financiamento de programas no campo da educação, da saúde, do desenvolvimento alternativo e do alívio da pobreza. Trabalhará também com o programa da ONU para a realização de projetos de pesquisa e acompanhamento e ajudará os países membros a promulgar leis contra a lavagem de dinheiro.

Um guia para o risco

O BID e o Grupo Santander da Espanha publicaram em conjunto um guia em espanhol para pesquisadores, regulamentadores e legisladores interessados em sistemas mais modernos e eficazes de gestão de risco aplicáveis ao contexto latino-americano.

 

Jump back to top