Pular para o conteúdo principal
Prêmios para projetos autônomos

O escritório de país do BID na Jamaica decidiu adotar uma nova abordagem para comemorar o 40º aniversário do Banco: organizou um concurso para reconhecer o trabalho das comunidades que resolveram problemas sem a ajuda do BID ou de qualquer outro organismo externo.

Foram convidados a se inscrever os projetos comunitários com um elevado nível de participação popular e que produziram benefícios concretos. Os vencedores receberiam pequenos prêmios em dinheiro e uma placa comemorativa. Dos 24 projetos que se candidataram, os juízes escolheram quatro, dois dos quais dividiram a terceira colocação.

O New Garden Youth Club, na freguesia de St. Andrew, ganhou o primeiro prêmio por um projeto de suprimento de água e de estrada. Quando o clube foi formado há cerca de dez anos, seus membros decidiram que o principal problema da comunidade eram as condições precárias de sua estrada principal. Ela estava tão ruim que os ônibus não entravam na comunidade, o que dificultava a ida das crianças à escola e dos adultos ao trabalho, impedindo ainda que os agricultores vendessem sua produção. O Fundo de Investimento Social da Jamaica concordou em financiar os consertos, mas a comunidade teria que dar sua contribuição. O Youth Club assumiu a responsabilidade pela manutenção da estrada, limpeza do sistema de drenagem e armazenamento do equipamento de trabalho.

O S-Corner Development Council, da comunidade de Bennetlands, ganhou o segundo lugar pela sua iniciativa de reduzir a violência das gangues. O conselho, que há muito vinha trabalhando nas áreas da saúde, educação e extensão comunitária, nomeou uma comissão encarregada de reunir as gangues que lutavam entre si. Após meses de mediação, as facções concordaram na adoção de um código de conduta. Nos últimos dois anos, a paz reinou praticamente sem interrupção.

O Rising Star Community Club, da aldeia de Broadleaf, compartilhou o terceiro lugar graças ao projeto de cultivo e comercialização de batata doce pelos jovens. Apesar da inexperiência, da seca e das dificuldades de transporte, as mudas de batata doce chegaram e os campos verdejaram. Hoje, os jovens vendem a produção localmente e para mercados de exportação.

O Sligoville Institute compartilhou o terceiro lugar com o projeto para ajudar os jovens a se preparar para o mercado de trabalho com capacitação e cursos na área do desenvolvimento pessoal. O instituto tem atualmente mais de 80 alunos matriculados, e os que já se formaram continuaram os estudos na Universidade de Tecnologia da Jamaica, em escolas de enfermagem e em colégios de professores.
 

Jump back to top