Pular para o conteúdo principal
Forte desaceleração das exportações da região no primeiro trimestre de 2023

O valor das exportações de bens da América Latina e do Caribe aumentou a uma taxa anual estimada de 2,9% no primeiro trimestre de 2023, após crescer 16,4% em 2022, de acordo com a última edição do relatório Estimativas das Tendências Comerciais da América Latina e do Caribe do Banco Interamericano de Desenvolvimento. 

Embora o desempenho do comércio tenha sido melhor do que a média mundial, as exportações da região desaceleraram notavelmente, devido tanto à queda dos preços dos produtos básicos quanto ao enfraquecimento dos volumes exportados. 

Para o futuro, a previsão é de balanço de riscos inclinado para baixa, em razão do impacto das políticas monetárias restritivas no crescimento global, da incerteza quanto à resolução da guerra na Ucrânia, do esgotamento do efeito expansivo da reabertura da economia chinesa e da reversão da fase de alta dos preços dos produtos básicos.

“O ciclo comercial expansivo pós-Covid chegou ao fim, e a região se acomodou em uma tendência de desaceleração das exportações, fadada a continuar no próximo trimestre e a se estabilizar na segunda metade do ano”, disse Paolo Giordano, Economista Principal do Setor de Integração e Comércio do BID e coordenador do estudo. "Políticas e investimentos destinados a aumentar a inserção competitiva nos mercados externos serão fundamentais para sustentar a recuperação econômica." 

A desaceleração foi generalizada em toda a região, principalmente nas economias da América do Sul, onde o impacto da queda de preços foi maior devido à importância dos produtos básicos em sua cesta de exportações. Os países da Mesoamérica, em especial o México, continuaram expandindo suas vendas externas no primeiro trimestre do ano, contribuindo para sustentar o desempenho regional.

Preços das exportações
De acordo com o relatório, entre janeiro e abril de 2023, os preços dos principais produtos básicos exportados pela América Latina e o Caribe apresentaram forte volatilidade. As taxas de variação interanual foram negativas para os preços do petróleo (-18,2%), café (-12,6%), ferro (-11,9%), cobre (11,1%) e soja (-2%). Por sua vez, o açúcar registrou uma alta interanual de 15,1%.

Ainda segundo o relatório, “o maior reajuste de preços ocorreu no primeiro trimestre” e “no restante do ano, os preços se manterão substancialmente estáveis, em patamares historicamente altos”. No entanto, o estudo especifica que “a previsão é caracterizada pela presença de riscos de naturezas diversas, em um quadro de incertezas quanto à evolução das taxas de juro e à cotação do dólar que costumam ter consequências diretas nos preços dos produtos básicos”. 

Desempenho por sub-regiõesum
Estima-se que na América do Sul as exportações tenham estagnado (-0,3%) no primeiro trimestre de 2023, em relação ao mesmo período de 2022, após terem crescido 16,2% em média no ano anterior. Os preços dos produtos básicos, que haviam impulsionado as exportações ao longo de 2022, entraram em uma fase de queda em meados do ano. Além disso, houve uma contração dos fluxos comerciais reais em relação ao primeiro trimestre de 2022, salvo algumas exceções.

Nesse ínterim, as exportações da Mesoamérica apresentaram um aumento interanual estimado de 6,3% no primeiro trimestre de 2023, após crescerem 16,1%, em média, em 2022. O México registrou um aumento interanual das vendas externas de 6,8% no primeiro trimestre de 2023. Por sua vez, o crescimento interanual dos envios da América Central foi de 1,6% nesse período.

Estima-se que as importações totais da região tenham aumentado 0,6% no primeiro trimestre de 2023, após uma expansão de 21,1% em 2022. 

O relatório apresenta dados detalhados do desempenho das exportações de 20 países da América Latina e do Caribe. 

Variação do valor das exportações 
(Taxa de variação interanual, percentual, 1T 2023 e 2022) 

Variação do valor das exportações

Fonte: Setor de Integração e Comércio do BID com base em fontes nacionais oficiais. 
Notas: Para mais informações sobre procedimentos, prazos e fontes de dados usados nas estimativas, consulte a Nota Metodológica. As setas indicam a mudança de tendência em relação ao ano anterior
 

Sobre o BID 
A missão do Banco Interamericano de Desenvolvimento é melhorar vidas. Fundado em 1959, o BID é uma das principais fontes de financiamento de longo prazo para o desenvolvimento econômico, social e institucional da América Latina e do Caribe. O BID também realiza projetos de pesquisa de ponta e oferece assessoria política, assistência técnica e treinamento a clientes públicos e privados em toda a região.
 

Contato de Imprensa

Cavelier,Andres

Cavelier,Andres
Jump back to top