Pular para o conteúdo principal
Embrapa e BID firmam contrato de US$33 milhões

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) assinaram hoje um contrato de empréstimo de US$33 milhões destinado ao Programa de Inovação Tecnológica e Novas Formas de Gestão na Pesquisa Agropecuária (Agrofuturo).

Com investimento total de US$60 milhões, dos quais US$27 milhões correspondem à contrapartida do governo federal, a iniciativa possibilita o fortalecimento da pesquisa e infra-estrutura da Embrapa, com especial atenção à capacidade e atualização de recursos para servir a áreas estratégicas.

Estão incluídas também outras áreas  diretamente relacionadas com a melhoria da competitividade, eficiência e eqüidade do setor agropecuário brasileiro — como as tecnologias de apoio a cadeias agroexportadoras, à sanidade e qualidade agroalimentar, à preservação e ao aproveitamento da biodiversidade, à agricultura orgânica, hidroponia e plasticultura e à agricultura familiar.

Do valor financiado, 58% se destinarão a projetos em recursos naturais e genéticos, biotecnologia e biossegurança, boas práticas de laboratório e campo, avaliação de impactos e eficiência, propriedade intelectual e sistemas de informação e comunicação.

O coordenador operacional do Agrofuturo, pesquisador Washington Silva, observa um outro ponto importante do programa: a integração regional e internacional por meio de acordos pré-estabelecidos. "Nesse caso se incluem a manutenção dos laboratórios virtuais da Embrapa no Exterior (Labex), a interação do Grupo Consultivo em Pesquisa Agrícola Internacional (CGIAR),  do Programa Cooperativo para o Desenvolvimento Tecnológico Agroalimentar e Agroindustrial do Cone Sul (Procisur) e do Programa Cooperativo de Investigação de Transferência para os Trópicos Sul-americanos (Procitrópicos)", explica Silva.

O programa também contemplará a  agricultura familiar com a implantação de três núcleos-piloto nos estados da Bahia, Mato Grosso do Sul e Pará. "O objetivo é promover a oferta de tecnologias", diz Washington. Nesse caso, os projetos terão apoio do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), associações de produtores e unidades da Embrapa localizadas nas respectivas regiões. Este ponto viabilizará um dos objetivos do Agrofutur aumentar o acesso aos mercados e a integração da produção familiar às cadeias do agronegócio.

Jump back to top