Pular para o conteúdo principal
Documentário do BID analisa relação entre código postal e saúde

‘A Saúde e a Cidade’ examina o impacto do entorno urbano em nossa qualidade e expectativa de vida

O código postal de uma pessoa influi mais em sua expectativa de vida do que seu código genético. É com base nessa premissa que se desenvolve A Saúde e a Cidade, um documentário produzido pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para analisar o impacto do entorno urbano em nossa expectativa e qualidade de vida.

O documentário, que estreia hoje, 30 de maio, percorre várias cidades da América Latina e do Caribe para mostrar por que os cidadãos que moram em bairros economicamente mais favorecidos na região gozam de melhor saúde do que os que residem em áreas vulneráveis, ou qual foi o motivo que levou as áreas urbanas mais segregadas a registrarem mais contágios e mortes durante a pandemia de COVID-19.

A Saúde e a Cidade visita cidades como Santiago do Chile, onde a área urbana em que uma pessoa mora pode acrescentar até 15 anos à sua expectativa de vida. Essa disparidade, que se observa também em muitas outras cidades da região, deixa explícita como a falta de moradia digna, a superpopulação, a escassez de áreas verdes ou a ausência de um sistema de transporte adequado podem influir de forma mais negativa na saúde do que hábitos como tipo de dieta, tabagismo ou prática de exercícios físicos.

Nos 36 minutos do documentário, sociólogos, epidemiologistas e especialistas em urbanismo refletem sobre a necessidade de que as políticas de planejamento urbano favoreçam a construção de vínculos comunitários e tenham um impacto positivo no bem-estar dos cidadãos. Entre os especialistas que aparecem no filme, destacam-se arquitetos como Alejandro Aravena, Prêmio Pritzker 2016, e epidemiologistas como Ana Díez Roux, da Universidade de Drexel (Filadélfia).

Carolina Piedrafita, coordenadora do Laboratório de Cidades do BID e especialista sênior em Moradia, recorda no documentário que, dos 20 países com maior desigualdade no mundo, oito estão na América Latina e Caribe. “A COVID-19 veio explicitar essas desigualdades no âmbito da saúde. Não é por acaso que uma região com 8,4% da população mundial tenha concentrado 27% das mortes”, explica.

Saúde e a Cidade sublinha a importância de que os responsáveis pela ordenação urbana pensem além da melhoria de elementos como a qualidade das moradias e saneamento básico, sem dúvida aspectos primordiais, e tenham consciência também do enorme impacto das características do entorno físico e social para a saúde de seus habitantes.

Se quiser assistir ao documentário Saúde e a Cidade, ele pode ser visto aqui.

Sobre o BID

O Banco Interamericano de Desenvolvimento tem como missão melhorar vidas. Estabelecido em 1959, o BID é uma das principais fontes de financiamento de longo prazo para o desenvolvimento econômico, social e institucional da América Latina e do Caribe. O BID também realiza projetos de pesquisa de vanguarda e oferece assessoria sobre políticas, assistência técnica e capacitação para clientes públicos e privados em toda a região.

Contato de Imprensa

Salgado Derqui, Javier Jose

Salgado Derqui, Javier Jose
Jump back to top