Pular para o conteúdo principal
BID lança novo programa e fundo para gênero e diversidade

O Banco Interamericano de Desenvolvimento aprovou a criação de um novo Fundo  de Multidoadores para Gênero e Diversidade, e a doação de US$ 10 milhões para financiar a incorporação de ações em termos de gênero e diversidade na América Latina e no Caribe.

O novo Fundo proporcionará doações para iniciativas que promovam a igualdade de gêneros, reduzam a discriminação e apóiem o desenvolvimento equitativo nos 26 países membros mutuários do Banco.

Mulheres e homens que sofrem discriminação baseada em gênero, povos indígenas e comunidades afro-descendentes são as três principais populações-alvo a serem atendidas pelo fundo. Áreas prioritárias foram identificadas dentro de cada população-alvo, com um foco especial nas áreas de intersecção, a fim de lidar com as dimensões multifacetadas da exclusão que combinam gênero, etnia e raça.

Até US$ 10 milhões do capital ordinário do BID ajudarão a financiar as operações do fundo, incluindo uma alocação inicial de US$ 4 milhões aprovada apenas para 2009. O objetivo de longo prazo do fundo para esses recursos é a integração de perspectivas de gênero e diversidade nos planos de desenvolvimento dos países membros do Banco em toda a região.

O programa conta com um mecanismo próprio de financiamento mais sustentável, o Fundo de Multidoadores para Gênero e Diversidade em si, que é aberto a contribuições de doadores e busca otimizar o uso de recursos remanescentes de fundos fiduciários já existentes para igualdade de gêneros e inclusão social sob a administração do Banco.

“Esta é uma oportunidade importante para o Banco estabelecer-se como um líder em questões de gênero e diversidade na América Latina e no Caribe", afirmou Kei Kawabata, gerente do Setor Social do BID, responsável pelas atividades do programa. "Ele amplia nosso papel como um parceiro para a América Latina e o Caribe e melhora nossa capacidade de promover o desenvolvimento equitativo."

Os países doadores que apóiam fundos fiduciários já existentes para a integração de problemas de gênero e inclusão social e alguns novos doadores – entre eles Noruega, Canadá, Reino Unido, Suíça e Áustria – expressaram interesse inicial em participar do novo Fundo para Gênero e Diversidade.

O principal objetivo do programa para o desenvolvimento equitativo deve ser alcançado por meio de três componentes fundamentais: desenvolvimento de projetos, fortalecimento institucional e gestão do conhecimento.

O Fundo para Gênero e Diversidade é estabelecido sob o novo Modelo para Cooperação Técnica do Banco, aprovado em 2008 com a finalidade de ampliar e acelerar o acesso a recursos de doações, dando-lhes maior flexibilidade e ligando-os estrategicamente à carteira de empréstimos do Banco.

O novo Modelo para Cooperação Técnica estabelece um número limitado de fundos temáticos estratégicos, centrados em resultados e financiados por contribuições não vinculadas e preferencialmente de vários doadores. O novo modelo também expande o pool de recursos disponíveis para o Banco, incluindo fundações filantrópicas e empresas privadas como parceiros doadores, e agrupa todos os recursos de doações dentro de padrões comuns, sob gestão integrada.

Jump back to top