Pular para o conteúdo principal

BID e estado do Pará unem esforços para a descarbonização

DUBAI - O presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Ilan Goldfajn, e o governador do estado do Pará no Brasil, Helder Barbalho, assinaram hoje uma carta de intenção para avançar com uma agenda abrangente de descarbonização no estado. O projeto do estado, cuja capital Belém sediará a COP30, contribuirá para preservar a Floresta Amazônica e a erradicação do desmatamento ilegal, evitando a perda de 10 milhões de hectares de floresta até 2050. O anúncio ocorreu durante a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP28) e a iniciativa faz parte do programa Amazônia Sempre do BID.

Descarboniza Pará, um projeto que o BID financiará e o Pará implementará, visa contribuir para a transição progressiva do estado do Pará para emissões líquidas zero de gases de efeito estufa (GEE) até 2050, por meio da implementação de políticas econômicas, ambientais, sociais e climáticas, beneficiando toda a população do estado.

O BID e o estado do Pará têm trabalhado juntos desde 2017 em áreas como reforma fiscal, bioeconomia, soluções baseadas na natureza e agricultura sustentável. A capital do estado sediará a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP30) em 2025, e o projeto deverá contribuir também para os esforços relacionados.

“O Estado do Pará vem liderando um importante processo no Brasil e sobretudo na Amazônia quando falamos em políticas públicas de preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. Por isso, definimos, dentro do Plano Estadual Amazônia Agora, que uma de nossas metas é atingir a neutralidade das emissões de gases do efeito estufa até 2036, contribuindo para a mitigação das mudanças climáticas no planeta e priorizando a mudança do modelo econômico historicamente reproduzido na Amazônia. É sob essas premissas estamos viabilizando o Descarboniza Pará, que pavimenta o caminho para esta mudança histórica, com a garantia de recursos para uma série de ações de restauração e conservação, a partir de soluções baseadas na natureza, do incentivo à bioeconomia, da produção sustentável e de baixo carbono. Além disso, com essa iniciativa, também colaboramos com as metas estabelecidas no acordo de Paris e dialogamos com a Agenda 2030 e com a Campanha ‘Race To Zero’, da ONU”, disse o Governador do Pará, Helder Barbalho.

O presidente Goldfajn comemorou a parceria. “O BID está comprometido com os esforços de descarbonização e aguarda com expectativa a COP30, sediada no Brasil. A descarbonização é um processo que requer intervenção em várias áreas para ser implementado, depende de muita coordenação. Aplaudimos o estado do Pará por enfrentar este desafio de forma multissetorial. Estamos prontos para apoiar continuamente o estado, uma área importante da região amazônica, e seu caminho para emissões líquidas zero.”

As reformas políticas implementadas graças a este projeto salvarão 10 milhões de hectares de floresta até 2050 e reduzirão as emissões líquidas de CO2 em seis bilhões de toneladas. A aplicação do IEEM, uma ferramenta desenvolvida pelo BID para medir o impacto econômico e ambiental das políticas públicas, tornou possível calcular a redução das áreas com desmatamento, a economia nas emissões de carbono que ocorrerão graças a este programa e onde esses efeitos ocorrerão.

Amazônia Sempre

Amazônia Sempre é um programa guarda-chuva e holístico que visa proteger a biodiversidade e acelerar o desenvolvimento sustentável a partir de três frentes de ação: ampliando o financiamento, impulsionando a troca de conhecimento, e facilitando a coordenação regional entre os oito países amazônicos. 

O programa é baseado em cinco pilares: combate ao desmatamento e fortalecimento do controle e segurança ambientais no contexto dos governos nacionais; a bioeconomia, impulsionando atividades econômicas alternativas e sustentáveis; pessoas, visando o acesso adequado a educação, saúde e emprego de qualidade; cidades e infraestrutura sustentáveis e conectividade; e agricultura, pecuária e silvicultura sustentáveis e de baixo carbono. Além disso, tem como foco promover a inclusão de mulheres, povos indígenas, afrodescendentes e comunidades locais; conservação do clima e da floresta; e fortalecer as capacidades institucionais e o estado de direito.

--------------------------------------------------

América Latina e Caribe na COP28

Os países da América Latina e do Caribe são parte crítica da solução para os desafios climáticos globais. No Pavilhão das Américas do BID, o Banco organiza mais de 30 eventos com líderes e especialistas internacionais para apresentar iniciativas em ação climática, desde instrumentos financeiros de ponta até a conservação e uso sustentável dos recursos naturais, Amazônia, transição justa da economia, entre outros. Jornalistas que cobrem a COP28 em Dubai podem visitar o pavilhão, sem necessidade de registro. Consulte aqui a programação dos eventos. Para jornalistas que cobrem a COP28 remotamente, é necessário registrar-se para ter acesso às transmissões de eventos selecionados.

Local: Pavilhão das Américas do BID no Blue Zone, Opportunity District (OA04G2), Pavilhão #56

Sobre o Grupo BID 

O Grupo BID é a principal fonte de financiamento do desenvolvimento para a América Latina e o Caribe. Contribuímos para melhorar vidas, fornecendo soluções financeiras e expertise de desenvolvimento para clientes dos setores público e privado. O Grupo é composto pelo BID, que tem trabalhado com governos há mais de 60 anos; o BID Invest, que atende o setor privado; e o BID Lab, que testa maneiras inovadoras para promover um crescimento mais inclusivo. Acesse nosso tour virtual.

Contato de Imprensa

Borges De Padua Goulart Janaina

Borges De Padua Goulart Janaina
Você também pode estar interessado em

Jump back to top