Pular para o conteúdo principal
BID e Banco do Brasil iniciam parceria para financiamentos verdes

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Banco do Brasil estabeleceram uma parceria para financiamentos verdes e anunciam nesta terça-feira, 26, a primeira fase de uma cooperação técnica e financeira em três áreas: direitos humanos e risco socioambiental, finanças verdes e mensuração de impactos econômicos, sociais e ambientais do crédito. A iniciativa busca mobilizar investimento privado nas ações de mitigação e modelos de negócios sustentáveis e de baixo carbono e está alinhada ao mandato do BID e à estratégia de negócios do Banco do Brasil e ao seu Plano de Sustentabilidade – Agenda 30 BB, em seu desafio de desenvolver soluções financeiras e modelos de negócio que promovam a transição para uma economia verde, sustentável e inclusiva.

Com base em metodologia desenvolvida pela Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN), que trata da mensuração e identificação de recursos alocados na Economia Verde, em 2017 a carteira de negócios verdes do BB apresentou um saldo de R$ 197 bilhões. Integram essa carteira as operações de crédito relacionadas a investimentos e empréstimos para energias renováveis, eficiência energética, construção sustentável, transporte sustentável, turismo sustentável, água, pesca, floresta, agricultura sustentável e gestão de resíduos. Também fazem parte da carteira áreas de cunho social, como educação, saúde e desenvolvimento local e regional.

"Captamos oportunidades em reflorestamento, infraestrutura urbana, mobilidade, geração descentralizada de energia, eficiência energética e cadeias produtivas sustentáveis em atividades agrícolas e pecuárias. Nossa Política de Responsabilidade Socioambiental (PRSA) prevê a atuação em conjunto com empresas, governos e sociedade na definição de iniciativas voltadas à redução de riscos e ao aproveitamento de oportunidades relacionadas às questões socioambientais", explica Carlos Netto, diretor de estratégia e organização do Banco do Brasil.

O BID busca apoiar o setor privado dos países da América Latina e do Caribe financiando empresas e projetos sustentáveis para maximizar o desenvolvimento social e ambiental dessas regiões. "As finanças verdes representam uma oportunidade de negócio com múltiplos benefícios, desde geração de receita ao uso mais eficiente dos recursos naturais. Nesse sentido, os bancos têm um papel chave na propagação desta agenda porque sua atuação ajuda a criar o entorno que favorece os investimentos de longo prazo necessários. Acreditamos que esta parceria com o Banco do Brasil corresponde a uma parte importante das necessidades de investimento verde no Brasil", disse Maria Netto, Especialista em Mercado Financeiro do BID.

Agenda 30 BB

A partir de 2017, o Plano de Sustentabilidade do Banco do Brasil passou a ser denominado Agenda 30 BB, refletindo as premissas da Agenda 2030 global e em consonância com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), lançados pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2015. O Plano colabora diretamente para o aprofundamento do compromisso e da incorporação de variáveis socioambientais na gestão e nos negócios do BB, tendo papel fundamental para melhores resultados e, como consequência, melhor performance em índices do Mercado de Capitais como o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE), da B3, e Índice Dow Jones de Sustentabilidade (DJSI), da Bolsa de Valores de Nova Iorque.

Sobre o BID

O Banco Interamericano de Desenvolvimento tem como missão melhorar vidas. Fundado em 1959, o BID é uma das principais fontes de financiamento de longo prazo para o desenvolvimento econômico, social e institucional da América Latina e Caribe. O BID também realiza projetos de pesquisa de vanguarda e oferece assessoria sobre políticas, assistência técnica e capacitação para clientes públicos e privados em toda a região.

Contato de Imprensa

Borges De Padua Goulart Janaina

Borges De Padua Goulart Janaina
Jump back to top