Pular para o conteúdo principal
BID aprova US$10 milhões para fortalecer a atividade de negócios na Bahia, Brasil

O Banco Interamericano de Desenvolvimento anunciou hoje a aprovação de um empréstimo para inovação de US$10 milhões para um programa destinado a fortalecer a atividade de negócios no estado da Bahia, Brasil.

O programa incentivará a competitividade de arranjos produtivos locais – APL (clusters) no estado mediante a promoção de uma nova política de apoio ao setor privado e a articulação de uma variedade de instrumentos para promover práticas sustentáveis em empresas de dez setores prioritários: fruticultura, tecnologia da informação, autopeças, rochas ornamentais (mármore e granito), plásticos, ecoturismo, confecções, piscicultura, derivados de cana-de-açúcar e ovinocaprinocultura.

O setor privado terá também uma participação ativa na iniciativa ao desenvolver, juntamente com especialistas internacionais, planos estratégicos para melhorar a competitividade de cada arranjo. O programa financiará as ações recomendadas por cada um desses planos.

O estado da Bahia, no Nordeste do Brasil, é responsável por cerca de 5% do produto nacional do país. Com um sistema de produção dinâmico, na última década sua economia cresceu a passo mais rápido do que a média nacional. O programa atenuará os efeitos de falhas de mercado que ainda impedem um crescimento maior.

“O programa ajudará os setores econômicos visados a fortalecer as ligações com as cadeias produtivas locais, melhorar a coordenação e promover melhor articulação entre a oferta e  a demanda de serviços”, disse o líder da equipe do BID Gabriel Casaburi. “A seleção dos APL se baseou, entre outros critérios, na localização geográfica e presença de um aglomerado de firmas especializadas, no apoio público e privado, no peso do setor na economia, na existência de liderança e comprometimento empresariais e na cooperação existente entre as empresas do APL e as instituições.”

O programa inovador é parte de uma iniciativa do BID que compreende quatro projetos e que visa impulsionar a competitividade com foco em arranjos produtivos locais, incluindo três outros estados brasileiros: Minas Gerais, Pernambuco e São Paulo.

O empréstimo de 25 anos do BID tem prazo de carência de três anos e taxa de juros variável. Os fundos locais de contrapartida totalizarão US$6.667.000.

Jump back to top