Pular para o conteúdo principal
BID anuncia ganhadores do Prêmio Juscelino Kubitschek

A comissão julgadora do Prêmio Juscelino Kubitschek, uma iniciativa do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), anuncia em Belo Horizonte, Minas Gerais, a seleção das três instituições que se destacaram por sua atuação junto a países da América Latina e Caribe.

O prêmio foi dividido em dois segmentos: Economia e Finanças, e Cultural, Social e Científico. Para o Prêmio de Economia e Finanças, foram priorizadas instituições com atividades em projetos econômicos de grande impacto social. Para o Prêmio Cultural, Social e Científico, o critério de seleção foi voltado para atividades sociais vinculadas especialmente à Educação.

O Prêmio Economia e Finanças, que recebeu 30 inscrições, será outorgado à organização Ação Internacional (América Latina e Caribe), e o Prêmio Cultural, Social e Científico, com 115 candidaturas, vai beneficiar duas instituições: Fé e Alegria (República Dominicana), e Vaga Lume (Brasil).

"Estas instituições têm dado uma grande contribuição para o desenvolvimento das comunidades onde atuam e esperamos que suas trajetórias inspirem outras a fazerem o mesmo”, disse o presidente do BID, Luis Alberto Moreno.

O comitê recebeu inscrições de 145 organizações representando 22 países das Américas e Europa. As candidaturas foram realizadas por meio de indicação de pessoas ou instituições.

As categorias de premiação receberão US$ 100 mil cada, sendo que o Prêmio Cultural, Social e Científico será compartilhado entre as duas instituições selecionadas, em reconhecimento às suas ações.

Esta é a primeira edição do Prêmio Juscelino Kubitschek, o maior prêmio de uma instituição multilateral para trabalhos de desenvolvimento na América Latina e no Caribe:

Prêmio Economia e Finanças

Ação Internacional – Acción Internacional (América Latina e Caribe) – A entidade privada sem fins lucrativos foi fundada na Venezuela em 1961, mas sua atuação compreende 16 países da região. Sua missão é oferecer instrumentos financeiros a homens e mulheres que iniciam seus próprios negócios, proporcionando microcrédito, capacitação empresarial e outros serviços financeiros. A instituição ajuda estas pessoas a se desenvolver por meio de seu trabalho e já atendeu mais de um milhão de clientes, com empréstimos que alcançaram a cifra de US$ 1,5 bilhão.

Prêmio Cultural, Social e Científico

Fé e Alegria – Fe y Alegria (América Latina e Caribe) – Com 50 anos de existência, a instituição realiza uma série de programas e ações de educação popular integrada e promoção social em 17 países onde tem representação, na América Latina. Em parceria com a sociedade e governos, desenvolve projetos de promoção humana orientados a oferecer a estudantes oportunidades educativas para atingir melhores condições de bem estar social. As ações são focadas em educação escolar formal; semipresencial e radiofônica; alternativa e informal; além de formação de professores e serviços de promoção social e desenvolvimento comunitário. Somente em 2006 o número de alunos e participantes atendidos passou de 1,3 milhão e existe uma rede de mais de 1.600 pontos de apoio onde funcionam 2.700 unidades de serviços entre escolas, emissoras de rádio, centros de educação à distância e centros de educação alternativa. Para esta premiação será contemplada a Representação da República Dominicana, onde a instituição tem presença em 32 pontos geográficos do país, com 56 postos educativos e um total de 58.000 estudantes atendidos pertencentes à educação formal, alternativa e não formal. Existem 1.126 pessoas trabalhando em programas e projetos na República Dominicana.

Associação Vaga Lume (Brasil) – A organização sem fins lucrativos promove o desenvolvimento cultural e educativo em comunidades rurais da Amazônia Legal por meio do intercâmbio de conhecimentos entre povos da Amazônia e outras regiões do Brasil. Desde 2002 estabeleceu bibliotecas comunitárias em 90 comunidades rurais de 20 municípios e capacitou cerca de 1.600 mediadores de leitura, beneficiando uma média de 20.000 crianças ao ano, com 65.000 livros distribuídos. A organização busca ser referência nacional na aplicação da metodologia de implantação de bibliotecas comunitárias como estratégia de desenvolvimento humano e comunitário, além de difundir sua metodologia para todo o Brasil e países da América Latina e África.

Saiba mais sobre o Prêmio JK

Esta primeira edição do prêmio compreende o biênio 2009–2010. O comitê julgador foi composto por personalidades de destaque na Região e se reuniu na sede do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), em Belo Horizonte entre os dias 25 e 26 de Abril.

A comissão foi presidida pelo presidente do BID, Luis Alberto Moreno, tendo o Secretário Geral Iberoamericano, Enrique Iglesias, como secretário. A solenidade de entrega do prêmio acontecerá em Brasília, em data a ser divulgada.

Participaram da decisão, Billie Antoinette Miller, ex-ministra das Relações Exteriores e Comércio de Barbados; José Octavio Bordón, ex-embaixador da Argentina na Casa Branca; Francisco Flores, ex-presidente de El Salvador; Osvaldo Hurtado, ex-presidente do Equador; Ricardo Lagos, ex-presidente do Chile; Hiroshi Watanabe, presidente e CEO do Banco Japonês de Cooperação Internacional (JBIC); e Paulo Paiva, presidente do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG).

O prêmio é uma homenagem a Juscelino Kubitschek, o brasileiro que idealizou a criação de uma instituição multilateral de desenvolvimento para a América Latina e Caribe. Deste ideal, resultou o Banco Interamericano de Desenvolvimento, que completa 50 anos em 2009. Hoje, o BID é a maior fonte de empréstimos voltados ao desenvolvimento para a América Latina e Caribe.

Jump back to top