Pular para o conteúdo principal
Banco Interamericano de Desenvolvimento se une ao Movimento Paralímpico

Por meio de doação, BID apoiará o esporte paralímpico e promoverá a inclusão de pessoas com deficiência na América Latina

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), doará US$650 mil para contribuir à inclusão econômica e social de pessoas com deficiência por meio do esporte, no contexto dos Jogos Paralímpicos do Rio 2016. O evento contou com a participação de Sir Philip Craven, Presidente do Comitê Paralímpico Internacional (CPI); Sergio Díaz-Granados, Diretor Executivo do BID para Colômbia e Equador, e Héctor Salazar, Gerente do Setor Social do BID.

Com a criação do projeto denominado "Inclusão social de pessoas com deficiência mediante o esporte: fortalecimento de estruturas nacionais paralímpicas", o BID visa fortalecer as estruturas paralímpicas nacionais e a integração regional para facilitar o acesso de pessoas com deficiência à prática esportiva, e assim favorecer sua inclusão social e econômica.

O programa será liderado pela Colômbia e beneficiará El Salvador, Equador, Nicarágua e Peru. O Brasil participará como país mentor em virtude de sua experiência no desenvolvimento do esporte paralímpico. A implementação envolverá o Comitê Paralímpico Internacional como parceiro chave, além dos Comitês Paralímpicos Nacionais (CPN) e das Instituições Nacionais dos Esportes dos países participantes.

O projeto terá como objetivos aumentar a oferta de clubes esportivos e treinamento para os atletas, reforçar a capacidade dos Comitês Paralímpicos Nacionais (CPN), assim como elaborar e implementar uma campanha de comunicação para promover a inclusão de pessoas portadoras de deficiência.

Com o objetivo de melhorar o acesso ao paraesporte, a doação também buscará identificar e apoiar 300 atletas que residam em comunidades marginalizadas, dar a conhecer o Movimento Paralímpico em toda a região e ajudar a sensibilizar a sociedade latino-americana para que seja mais inclusiva e adquira maior conhecimento sobre o tema.

Incluirá também a ampliação de oportunidades de competição para os atletas, a identificação de talentos em zonas vulneráveis, a capacitação técnica de treinadores, classificadores e funcionários, a promoção de atividades de conscientização e a criação de um mecanismo para garantir a cooperação entre os CPN.

“As pessoas com deficiência enfrentam maiores desvantagens nos âmbitos da educação, saúde e emprego do que a população em geral. Por isso, o BID quer apoiar o esporte paralímpico como ferramenta de inclusão social e econômica que ajude a melhorar sua qualidade de vida”, assinalou Héctor Salazar, Gerente do Setor Social da instituição.

Por sua parte, Sir Philip Craven, Presidente do CPI, declarou que “este apoio do BID será de grande valor para garantir que o impacto do Rio 2016 se faça sentir nas gerações futuras”.

Sobre o BID

O Banco Interamericano de Desenvolvimento tem como missão melhorar vidas. Criado em 1959, o BID é uma das principais fontes de financiamento de longo prazo para o desenvolvimento econômico, social e institucional da América Latina e o Caribe. O BID também realiza projetos de pesquisas de vanguarda e oferece assessoria sobre políticas, assistência técnica e capacitação a clientes públicos e privados em toda a região

Jump back to top