Pular para o conteúdo principal

BID Lab, Fundação Lemann e Imaginable Futures lançam programa de soluções pedagógicas

CHAMADO IMPULSIONAR, O PROGRAMA PROMOVERÁ A CONEXÃO ENTRE AS REDES DE EDUCAÇÃO, ORGANIZAÇÕES SOCIAIS E EDTECHS (STARTUPS DE EDUCAÇÃO) PARA DESENVOLVER SOLUÇÕES PEDAGÓGICAS E DIGITAIS;  

SERÁ LANÇADO UM EDITAL, COM INSCRIÇÕES DE 9 A 25 DE JUNHO, PARA SELECIONAR ORGANIZAÇÕES DE IMPLEMENTAÇÃO E FORMAÇÃO E REDES MUNICIPAIS QUE OFEREÇAM ENSINO FUNDAMENTAL (ANOS FINAIS). 

A educação brasileira foi amplamente impactada pela pandemia, principalmente pelo fechamento das escolas físicas, o que trouxe importantes reflexos na aprendizagem dos estudantes. O desafio da educação, e sobretudo das redes públicas de ensino, atualmente, é oferecer soluções para reduzir defasagens de aprendizagem, aumentar o interesse dos estudantes e mantê-los na escola, mesmo com aulas não presenciais. O Impulsionar é uma iniciativa da Fundação Lemann, Imaginable Futures - organização filantrópica internacional focada em aprendizagem - e BID Lab, braço de inovação do Grupo Banco Interamericano de Desenvolvimento, e realizado por Quintessa e Instituto Reúna. O programa se propõe a oferecer soluções pedagógicas e tecnológicas para as redes municipais brasileiras para reduzir e prevenir lacunas de aprendizagem em Língua Portuguesa e Matemática de estudantes do 6º ao 9º ano.  

As soluções do programa serão construídas a partir de um modelo pedagógico, com o apoio de organizações educacionais que oferecem serviços de implementação, formação de professores e gestores, e recursos educacionais tecnológicos, considerando a metodologia do ensino não presencial. O principal objetivo do Impulsionar é conectar empresas de tecnologia que atuam com educação – as edtechs – com as redes públicas e as organizações de implementação e formação para desenvolver e multiplicar soluções pedagógicas e digitais. Atualmente, existem no Brasil 449 edtechs ativas, mapeadas no StartupBase.  

Para isso, será lançado um edital com inscrições de 9 a 25 de junho de 2021, para seleção de organizações de implementação e de formação, que devem indicar redes de ensino públicas para participar da seleção. Serão aprovadas organizações que atendam aos critérios de seleção e que também tenham redes indicadas aprovadas no processo seletivo. O programa será implementado, inicialmente, em seis redes municipais de ensino. Serão aceitas indicações de todo o Brasil, com o objetivo de que 50% das redes sejam do Norte e/ou Nordeste.  No segundo semestre de 2021, será feita a chamada para as edtechs, cujo processo seletivo será conduzido pelas Redes de Ensino.  

A iniciativa se dá em um contexto especialmente desafiador para a educação brasileira: em 2020, durante a pandemia da Covid-19, triplicou o risco de abandono escolar e o índice de aprendizado caiu 72,5%, segundo um estudo organizado pelo BID com alunos da rede estadual de São Paulo. Em outras regiões do país, estima-se que os impactos sejam de magnitude similar.  

Para o BID, esta iniciativa demonstrará, na prática, o poder da digitalização e da inovação no enfrentamento de questões latentes na região e exacerbadas pela pandemia, como é o acesso à educação. É esse, inclusive, um dos pilares da Visão 2025 – estratégia do Grupo BID para apoio à recuperação econômica da América Latina e Caribe. “Muitas vezes pensamos em tecnologia e inovação como exclusividade de escolas caras, quando a realidade é que essas novas ferramentas podem, justamente, oferecer saídas custo-efetivas úteis para todos, inclusive para os alunos mais carentes. Nossa parceria com a Fundação Lemann, referência em educação, e com a Imaginable Futures, destaque no ecossistema de inovação, permitirá justamente democratizar o uso dessas soluções”, afirma Morgan Doyle, representante do Grupo BID no Brasil.  

“Precisamos de ações concretas em 2021, pois temos um risco alto de evasão escolar e dificuldade de aprendizagem dos estudantes com o ensino não presencial. Em uma pesquisa que encomendamos ao Datafolha, 73% dos educadores disseram que vão utilizar mais tecnologia no ensino do que usavam antes da pandemia. Ou seja, a tecnologia veio para ficar na educação e pode nos ajudar a reverter o quadro de defasagem de aprendizagem dos estudantes com a pandemia”, diz o diretor executivo da Fundação Lemann, Denis Mizne. 

“Acreditamos na força da inovação e da ação coletiva para enfrentar o desafio da crescente desigualdade na educação no Brasil, acentuado pela pandemia. Estamos animados com o lançamento do programa Impulsionar pela colaboração entre startups, secretarias de educação e educadores para enfrentar o desafio da defasagem juntos. É um programa importante também para consolidar a nossa parceria com a Fundação Lemann e BID para suportar o ecossistema de inovação no Brasil", diz Fabio Tran, Venture Partner da Imaginable Futures.   

"Para o Quintessa, que acelera startups de impacto (incluindo edtechs) há 12 anos, o Impulsionar é uma grande oportunidade de conectar estas soluções inovadoras a uma pauta pública urgente. É uma iniciativa inédita para nós e com o maior potencial de geração de impacto positivo na educação. Neste projeto, o nosso papel é facilitar a conexão entre todos os atores envolvidos, oferecendo nossas metodologias e expertise para a implementação do programa", diz Gabriela Bonotti, Diretora do Quintessa. 

Juntos, BID Lab, Fundação Lemann e Imaginable Futures investirão US$ 2,36 milhões (cerca de R$ 12,4 milhões) no Impulsionar , dos quais US$ 700 mil são doados pelo BID Lab e US$ 1,66 milhão aportados pela aliança formada entre a Fundação Lemann e a Imaginable Futures. Os recursos serão empregados em iniciativas que promovam o uso de tecnologia e inovação nas escolas públicas e na construção de modelos que poderão ser replicados pelas redes municipais e estaduais em todo o país.  

Projeto Piloto em MG  

Parte da verba prevista pelo BID será investida em um programa piloto, desenvolvido em parceria com a Fundação Lemann, a Imaginable Futures e o Governo do Estado de Minas Gerais. O programa será executado ao longo de quatro meses em Minas Gerais e deverá beneficiar diretamente ao menos 150 mil alunos, de 300 escolas estaduais, localizadas em áreas de vulnerabilidade social.  

O programa será implementado pela edtech brasileira Movva, presidida por Guilherme Lichand, membro da Rede de Líderes da Fundação Lemann. O projeto foi selecionado em 2020 na GESAwards, a maior competição de startups do mundo,  e atuará com o uso de “nudgebots” – robôs que disparam mensagens redigidas usando técnicas comportamentais para estimular alunos a frequentarem as aulas ou a estudarem, e melhorarem seu rendimento educacional. No projeto piloto, as mensagens serão enviadas para estudantes de aproximadamente 300 escolas estaduais de Minas Gerais.  
 

Sobre a Fundação Lemann 

A Fundação Lemann acredita que um Brasil feito por todos e para todos é um Brasil que acredita no seu maior potencial: gente. Isso só acontece com educação de qualidade e com o apoio a pessoas que querem resolver os grandes desafios sociais do país. Nós realizamos projetos ao lado de professores, gestores escolares, secretarias de educação e governos por uma aprendizagem de qualidade. Também apoiamos centenas de talentos, lideranças e organizações que trabalham pela transformação social. Tudo para ajudar a construir um país mais justo, inclusivo e avançado. Saiba mais em: fundacaolemann.org.br. Siga-nos nas redes: Twitter, Instagram, Facebook e LinkedIn.  

Sobre a Imaginable Futures 

A Imaginable Futures é uma empresa global de investimento filantrópico que acredita no poder do aprendizado para desbloquear o potencial humano e, nesse sentido, se propõe a fornecer a cada educando a oportunidade e as ferramentas necessárias para imaginar e concretizar um futuro melhor. Ao adotar uma abordagem de sistemas para resolver desafios complexos de educação, a Imaginable Futures trabalha em parceria com vários setores da sociedade para impulsionar a trajetória de estudantes de todas as idades. 

Com o sólido compromisso de estabelecer alianças locais e cocriar com aqueles a quem servimos, a Imaginable Futures capacita educandos, famílias e comunidades para se tornarem agentes de mudança do futuro. A Imaginable Futures, que tem administração global e operações locais no Brasil, Quênia e Estados Unidos, investiu US $200 milhões em mais de 125 parceiros na África, América Latina e América do Norte, bem como na Índia, com nossa organização irmã Omidyar Network India. A Imaginable Futures é um empreendimento do Grupo Omidyar. Visite imaginablefutures.com e siga-nos em @imaginablefut.  

Sobre Quintessa 

O Quintessa existe para que empresas sejam relevantes na solução dos desafios sociais e ambientais centrais do nosso país. Desde 2009, Impulsionar startups que resolvem desafios socioambientais e realiza iniciativas que promovem as agendas de inovação, impacto positivo e ESG para grandes empresas, investidores, institutos e fundações. Ao longo dos mais de doze anos de experiência, o Quintessa apoiou mais de 200 negócios de impacto de destaque em áreas como educação, saúde, meio ambiente, cidades sustentáveis e inclusão. Conheça mais: www.quintessa.org.br 

Sobre Instituto Reúna 

O Instituto Reúna é uma organização sem fins lucrativos criada para garantir a qualidade e consistência na educação básica. Partindo do desafio de implementar a Base Nacional Comum Curricular, o Reúna desenvolve, junto de uma rede ampla de parceiros, serviços técnico-pedagógicos em quatro frentes de atuação: formação, material didático, currículo e avaliação. Cada uma dessas iniciativas apoia o sistema educacional a garantir a aprendizagem de qualidade a que todos os alunos brasileiros têm direito. 

Contato de Imprensa

Borges De Padua Goulart Janaina

Borges De Padua Goulart Janaina
Additional Contacts

Cossi Fernandes,Joao Paulo

Cossi Fernandes,Joao Paulo
Jump back to top