Notícias

Serviços digitais geram economia de 74% para empresas e cidadãos na cidade de SP, diz BID
  • Cidade obteve uma taxa de retorno de R$ 27 para cada R$ 1 investido em transformação digital
  • Foram analisados custos relacionados a deslocamentos, tempo de espera, envios, recursos humanos e outros

Um estudo realizado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), “Benefícios econômicos da transformação digital”, com base em dados da Prefeitura de São Paulo indicou que, cada R$ 1 investido na digitalização de serviços oferecidos ao público gerou um retorno, ou uma economia anual de R$ 27.

Em termos percentuais, o estudo apontou que a transformação digital gerou para a sociedade (cidadãos e empresas) uma redução média de 74% no custo unitário de uma solicitação de serviço público. No caso de serviços solicitados apenas por pessoas físicas, a redução média foi de 83%. No grupo de serviços solicitados por empresas, a redução verificada foi de 67%, segundo o documento que buscou quantificar os benefícios da transformação digital no setor público.

Para verificar a economia gerada para a sociedade foram observados o volume de solicitações, custos associados a deslocamentos, tempo de espera, impressões e envios de documentos, entre outros.

“Os resultados desse estudo, um dos primeiros a avaliar o impacto da transformação digital pós-implementação na América Latina, comprovam o que, de certa forma, se espera: uma grande economia tanto para o cidadão, como para a administração pública”, afirmou o Representante do BID no Brasil, Morgan Doyle.

“Além do benefício econômico, a digitalização também facilita o acesso aos serviços, melhorando a vida das pessoas. O Brasil tem se destacado na oferta de serviços públicos digitais, um caminho que deve continuar a ser trilhado, e para o qual o BID coloca à disposição recursos técnicos e financeiros. A digitalização é uma prioridade dentro da Visão 2025, nossa agenda de apoio a uma recuperação econômica sustentável e inclusiva”, acrescentou.

O estudo também analisou o impacto para a administração pública, considerando custos relacionados a recursos humanos, espaço físico e investimento em digitalização, entre outros. O resultado indica uma redução média de 40% no custo unitário de uma solicitação de serviço, sendo que a diminuição de custos relacionados com recursos humanos alocados para o atendimento direto ao público foi de 50%, enquanto a redução com pessoal dedicado ao tratamento das solicitações recebidas foi de 19%. Essas mudanças, decorrentes da criação de canais digitais de atendimento, permitem a realocação de servidores ou funcionários para outras atividades, ampliando a capacidade de atuação do poder público. 

Também foi verificada uma redução de 47% com impressões e envios, devido à possibilidade de receber e enviar informações e documentos por canais digitais, o que diminui ou elimina também a necessidade de envio de documentos e cartões por correio.  

Geração de conhecimento baseada em evidências

Este estudo integra os esforços do BID de apoiar a geração de conhecimento baseado em evidências e, assim, impulsionar a digitalização no setor público. Além disso, o Banco apoia a transformação digital brasileira com recursos financeiros, como o US$ 1 bilhão disponibilizado pela linha de crédito Brasil Mais Digital e pelo suporte a iniciativas como a Plataforma Rede Gov.Br, em parceria com o Governo Federal, para promover a transformação digital dos municípios brasileiros.

“O Brasil é um dos países líderes na transformação digital do setor público, e este estudo mostra que a digitalização é fundamental para aumentar a eficiência dos serviços públicos”, disse Susana Cordeiro Guerra, gerente do Departamento de Instituições para o Desenvolvimento do BID.

“No BID, estamos comprometidos em medir a eficácia do desenvolvimento e esperamos que as lições aprendidas com a experiência brasileira sirvam de insumo para o desenho de estratégias de transformação digital para outros países da região.”

O estudo verificou as mudanças promovidas pela digitalização no processo de solicitação de 15 serviços, que representam 22% do volume dos serviços digitais da Prefeitura, dentre os quais desbloqueio de senha para MEI (microempreendedor individual), bilhete único de transporte para estudante, cartão de estacionamento para pessoa com deficiência, além de serviços ligados ao IPTU.

A análise foi realizada sobre o processo de digitalização do cadastro e encaminhamento da solicitação e não necessariamente sobre a realização do serviço em si, tendo em vista que alguns serviços possuem etapas obrigatoriamente presenciais.

A digitalização é apenas um dos canais em uma estratégia integrada de oferta de serviços que também leva em consideração públicos que usam menos os meios digitais, como é o caso dos idosos. Trata-se de um canal bastante relevante, se considerarmos que a grande maioria da população brasileira está pronta para mais e melhores serviços digitais – uma pesquisa do BID divulgada em 2021 mostrou que 86% dos brasileiros ouvidos já se sentem adaptados à vida online e 95% têm acesso à internet a partir do celular.

Sobre o BID

O Banco Interamericano de Desenvolvimento tem como missão melhorar vidas. Criado em 1959, o BID é uma das principais fontes de financiamento de longo prazo para o desenvolvimento econômico, social e institucional da América Latina e o Caribe. O BID também realiza projetos de pesquisas de vanguarda e oferece assessoria sobre políticas, assistência técnica e capacitação a clientes públicos e privados em toda a região. Acesse nosso tour virtual

Contato de imprensa
Mais Informações

Mariano Lafuente
Especialista Principal do BID Modernização do Estado
mlafuente@iadb.org