News banner image

Notícias

O Caribe e o BID

Os países caribenhos de língua inglesa membros do BID – Bahamas, Barbados, Belize, Guiana, Jamaica e Trinidad e Tobago – e o Suriname, de língua holandesa, são unidos por comércio, geografia, história e tradições. Sua situação econômica e desafios de desenvolvimento, porém, podem variam amplamente.

Alguns desafios de desenvolvimento são comuns a todos. Um destes é a necessidade de se tornar mais competitivos na economia internacional. Outros desafios são maior crescimento econômico, superação da ameaça de desequilíbrios macroeconômicos que debilitam seus esforços de desenvolvimento, a necessidade de fortalecer o diálogo público-privado para promover o desenvolvimento do setor privado e a redução das limitações de capacidade institucional que restringem a eficiência e as políticas públicas. A desaceleração econômica mundial tornou esses desafios ainda mais urgentes.

Nesse contexto, o BID aprovou mais de US$ 600 milhões para esses sete países em 2009 e espera aprovar cerca de US$ 900 milhões em 2010. Com uma carteira atual de US$ 1,3 bilhão, o BID continua a trabalhar com esses países membros caribenhos para fazer diferença em várias áreas essenciais. Montante além dos US$ 200 milhões em doações anuais previstas para o Haiti.

As áreas-chave para os países de língua inglesa do Caribe e o Suriname são:

Na política social para equidade e produtividade, o BID está ajudando os países a avançar em temas como saúde e educação. Por exemplo, o BID renovou sua parceria com o governo da Guiana para trabalhar na expansão do atendimento de saúde infantil e materna e na redução da desnutrição. Essa é uma parceria que já ajudou a alcançar resultados mensuráveis na última década.

O BID também está colaborando com os governos de Trinidad & Tobago, Bahamas e Jamaica para ajudar a adequar os sistemas educacionais desses países a suas necessidades de recursos humanos mais especializados e crescimento econômico.

Vários novos projetos procuram melhorar a gestão de riscos de desastres e a infraestrutura costeira. A iniciativa Gestão Regional do Risco de Desastres para o Turismo Sustentável pretende reunir partes interessadas do setor público de nove países caribenhos com figuras importantes da hotelaria e autoridades regulatórias para melhorar a preparação e a resposta a desastres, em parceria com a Caribbean Disaster Emergency Response Agency e a Caribbean Tourism Organization. 

O BID também está fazendo parceria com o governo de Barbados para melhorar a gestão da zona costeira do país e, por intermédio do recente Programa de Infraestrutura Costeira, lidar com os desafios da erosão costeira, a elevação do nível do mar e outros riscos associados à mudança climática.

O Banco está contribuindo para a construção de capacidade institucional para crescimento e bem-estar social com o seu trabalho em áreas como gestão das finanças públicas e fortalecimento dos governos locais.

Na Guiana, o BID vem oferecendo apoio duradouro para auxiliar o governo a fazer avanços significativos na modernização da gestão das finanças públicas, ajudando a construir uma base fiscal forte para o crescimento sustentado.

No Suriname, o Banco aprovou recentemente a segunda fase de um projeto voltado a construir capacidade e expandir a autoridade dos governos locais, dando continuidade a uma parceria com o governo do país que teve início em 2001.

O programa de consolidação orçamentária está apoiando os esforços do Governo da Jamaica para alcançar um crescimento estável e sustentável através de uma política macroeconômica sólida.

Na área de integração regional competitiva e desenvolvimento do setor privado, o BID aprovou recentemente projetos de apoio ao setor comercial e de promoção da competitividade. O BID também está apoiando o desenvolvimento e a competitividade do setor privado em 15 países da região por meio de sua parceria com o United Kingdom Department for International Development e a Canadian International Development Agency na iniciativa Compete Caribbean.

O Banco também continua a oferecer apoio na área de infraestrutura. Nas Bahamas, com o Suplemento ao Programa de Transporte de New Providence aprovado em 2008, o Banco continuará a focalizar os investimentos em financiamento público para produzir melhorias na infraestrutura viária. Essas mudanças serão acompanhadas de um aumento da capacidade de planejamento do transporte e de mais segurança viária, além de apoio a esquemas viáveis para aumentar a participação privada na manutenção das estradas e na operação organizada de serviços de transporte público.

Auxiliar o processo de integração e fortalecer a CARICOM continuam sendo prioridades do BID, assim como ajudar esses países a lidar com os efeitos da mudança climática e proporcionar apoio para a sustentabilidade ambiental.

Programas para impulsionar reformas em setores sociais, como saúde, moradia e educação, também devem receber apoio financeiro adicional do BID, assim como programas de infraestrutura e fortalecimento da governança.

Haiti

O BID também está oferecendo forte apoio ao Haiti. Com uma carteira de projetos de US$ 900 milhões distribuídas por 30 operações, e com uma presença ininterrupta no país há mais de 50 anos, o BID é a maior e mais contínua fonte de financiamento multilateral para o Haiti.

Depois do devastador terremoto de 12 de janeiro, o Banco intensificou seu programa com o Haiti financiando atividades de resposta ao terremoto e oferecendo os muito necessários auxílios emergenciais em água, saneamento e comunicações. As doações do BID para o Haiti também aumentaram. Nos nove meses desde 12 de janeiro, o BID aprovou mais de US$ 166 milhões em novas doações e desembolsou mais de US$ 100 milhões. O Banco espera alcançar uma meta anual de US$ 160 milhões em desembolsos, o que seria um número recorde apesar das difíceis condições pós-terremoto.