News banner image

Notícias

FATOS SOBRE ÁGUA: um recurso ameaçado na América Latina e no Caribe

UMA VANTAGEM COMPETITIVA

A ALC tem 8% da população mundial, mas controla 31% dos recursos totais de água doce do planeta (a Ásia tem 60% da população e apenas 28% da água). Essa vantagem é evidente:

 

Na eletricidade:

Ø  A água é responsável por 68% de toda a geração de eletricidade da região (mais de 80% no Brasil), em comparação com médias globais de menos de 16%

Ø  Fonte de energia barata, renovável e neutra em carbono, com espaço para cresciment

Ø  Apenas cerca de 30% do potencial hidrelétrico total da ALC foi utilizado até o momento.

Na mineraçã

Ø  A ALC ganhou US$ 68 bilhões com a exportação de minérios e metais em 2008, mas a mineração requer enormes quantidades de água.

Na agricultura:

Ø  As exportações de alimentos da ALC dobraram na última década, chegando a US$ 100 bilhões em 2008.

Ø  A ALC domina as exportações de produtos como soja (60% das exportações mundiais em 2008) e açúcar (51%), que requerem uma grande quantidade de chuvas previsíveis, e de proteína animal como carne bovina (50%) e aves (36%), cuja produção requer grandes quantidades de pastos ou grãos, que são dependentes da chuva.

Ø  Em contraste com outras regiões, em que a terra e a água para a agricultura são seriamente limitadas, a ALC ainda pode ter uma vasta expansão na produção de alimentos (a região do Oriente Próximo/norte da África usa 53% de seus recursos hídricos em irrigação, enquanto o uso na América Latina mal chega a 1%).

 

 

1.     UM RECURSO AMEAÇADO

Os cientistas concordam que alterações no suprimento de água estarão entre os primeiros e mais dramáticos impactos da mudança climática na ALC, devido a

Ø  Eventos climáticos extremos (secas, furacões, enchentes) que devem aumentar com a elevação da temperatura.

Ø  Derretimento acelerado dos glaciares andinos, que tiveram uma redução de 30% nos últimos 30 anos; muitos podem desaparecer até 2030.

 

Impacto provável sobre a energia:

Ø  Nos últimos 10 anos, secas históricas causaram reduções críticas na produção de eletricidade no Brasil, Argentina, Chile e Peru. Agora mesmo, Venezuela e Equador estão racionando eletricidade devido a secas.

Impacto sobre alimentos & exportações:

Ø  As secas custaram à Argentina 1,5 milhão de cabeças de gado e metade de sua safra de trigo em 2008, com perdas financeiras de mais de US$ 3 bilhões.

Ø  O acesso à água é hoje uma das principais limitações à expansão da mineração em países como Chile e Peru e uma frequente fonte de conflitos com as comunidades próximas aos locais de extração.

Ø  A Guatemala declarou “estado de calamidade” este verão devido a seca/fome/desnutrição e as colheitas mexicanas de milho e feijão foram seriamente prejudicadas.

Impacto sobre a saúde e a água potável:

Ø  Furacões e enchentes (como a que matou 200 pessoas em El Salvador na semana passada) expõem milhões de pessoas a água contaminada e doenças, em especial no Caribe.

Ø  Secas forçaram a Cidade do México e Caracas a racionar água este ano.

 

2.     UMA RESPONSABILIDADE NEGLIGENCIADA

Embora a ALC esteja a caminho de cumprir os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio referentes à cobertura dos serviços de água e saneamento, a qualidade dos serviços é seriamente deficiente e a região está ainda muito atrasada em termos de tratamento de esgotos:

Ø  85 milhões de pessoas não têm água em sua residência e 115 milhões não contam com saneamento básico.

Ø  Muitos dos que têm água em casa recebem-na apenas algumas horas por dia.

Ø  A água encanada é com frequência não potável, levando a um consumo crescente de água engarrafada em galões, mesmo entre os muito pobres e mesmo entre os que têm água encanada em casa.

Ø  As vendas de água engarrafada em galões triplicaram desde 2000, para US$ 3 bilhões por ano.

Ø  O México tem hoje um consumo per capita de água engarrafada maior que os Estados Unidos e que todos os países europeus.

Ø  Muitas famílias de baixa renda em ambientes urbanos gastam cerca de US$ 30 por mês em água engarrafada (vendida em recipientes de 20 litros ou 5 galões). Isso é com frequência três ou quatro vezes mais do que elas gastam com o serviço de água encanada.

Doenças ainda comuns causadas por água inadequada:

Ø  38.000 crianças de menos de 5 anos de idade morrem a cada ano de diarreia.

Ø  Milhões sofrem de Doenças Tropicais Negligenciadas como ancilostomíase e ascaridíase.

A poluição das fontes de água está fora de controle:

Ø  Menos de 20% de todas as águas residuais são tratadas antes de ser despejadas em rios e lagos.

Ø  A maioria dos rios urbanos é extremamente poluída, expondo milhões de pessoas a toxinas e doenças

Ø  As cidades perdem bilhões em receita potencial com investimentos imobiliários e turismo, que são arruinados por rios e baías poluídos

Os operadores apresentam desperdício e ineficiência:

Ø  O operador médio recebe apenas por 50% da água que produz (o resto é perdido em vazamentos, roubo e não-pagamento)

Ø  Medidores de água não estão instalados ou estão quebrados em dezenas de milhões de residências e, como resultado, a família média na ALC consome duas vezes mais água do que na Alemanha e três vezes mais que na China.

 

3.     RESPOSTA DO BID:

 

Iniciativa de Energia Sustentável e Mudança Climática

Ø  Projetos pioneiros para ajudar os governos a reformular o planejamento de infraestrutura para mitigar impactos da mudança climática.

Ø  US$ 2,6 bilhões em empréstimos e cooperação técnica em energia renovável, eficiência energética e políticas climáticas desde 2007.

 

Nossa Iniciativa de Água e Saneamento

Ø  Os empréstimos anuais em água/saneamento haviam caído para menos de US$ 200 milhões cinco anos atrás.

Ø  Em 2007, propusemo-nos a financiar 100 cidades com pelo menos 50.000 habitantes e 3000 comunidades rurais até 2011.

Ø  As aprovações subiram para US$ 850 milhões em 2007, US$ 1,5 bilhão em 2008, US$ 1,75 bilhão em 2009.

Ø  Já foram financiados projetos em 112 cidades e as metas rurais serão facilmente superadas.

Ø  Em 2011, teremos emprestado pelo menos US$ 6 bilhões para esse setor, estendendo os serviços para mais de 30 milhões de pessoas.

Ø  Em julho, o BID assinou um acordo para financiamento conjunto de projetos com a Espanha. Para cada US$ 1 de contribuição do BID, a Espanha oferece mais U$ 2 ou US$ 3 em doações. O BID traz a experiência na região, sua grande carteira de projetos e a capacidade de execução e avaliação.

Ø  A Espanha e o BID cofinanciarão projetos na ordem de US$ 620 milhões em 12 países em toda a região, beneficiando 4 milhões de pessoas. A Espanha trará US$ 420 milhões em doações. O BID oferecerá o restante em doações, empréstimos e custos de preparação de projetos.

Ø  Aprovamos recentemente projetos no Haiti (US$ 40 milhões), Bolívia (US$ 100 milhões) e Paraguai. Até meados de 2010, também iniciaremos projetos conjuntos no Uruguai, Brasil, Guatemala, El Salvador, Honduras, República Dominicana, Costa Rica, Equador e Peru.

Ø  Outras parcerias estratégicas: Gates Foundation/Sabin Institute (fundo fiduciário de US$ 137 milhões para evitar Doenças Tropicais Negligenciadas), FEMSA: bolsas para água e saneamento. Coca Cola: água para escolas rurais.