News banner image

Notícias

Energia sustentável para Haiti, Bahamas e Barbados

Dezenas de milhares de haitianos que perderam suas casas em Porto Príncipe deixaram a cidade e migraram para aldeias rurais ou acampamentos temporários. Organizações de auxílio internacionais estão nesse momento ajudando a construir clínicas, escolas, centros administrativos e armazéns em algumas dessas aldeias, que ficam localizadas em áreas remotas, sem acesso a serviços básicos.

No entanto, embora esses novos prédios estejam quase prontos, eles ainda não dispõem de eletricidade para iluminação e equipamentos básicos. Geradores a diesel portáteis não são uma boa solução, porque necessitam de diesel como combustível, o qual é caro, muitas vezes está em falta e precisa ser transportado por caminhão em estradas precárias que podem se tornar intransitáveis na estação das chuvas.

Graças a recursos de uma doação combinada de US$ 1,5 milhão do Global Environment Facility (GEF) e do BID, várias dessas aldeias logo estarão equipadas com sistemas de energia solar autônomos capazes de fornecer eletricidade para os prédios de apoio, além de refrigeradores a energia solar para conservar vacinas em hospitais de emergência.

O Solar Electric Light Fund (SELF), uma organização sem fins lucrativos com ampla experiência na instalação de sistemas solares fotovoltaicos no Haiti e em outros países em desenvolvimento, obteve um contrato para instalar e operar esses sistemas nas aldeias e hospitais que já foram identificados pelo governo haitiano. Também será responsável pela manutenção do sistema e pela capacitação durante o primeiro ano de operação, com o objetivo de preparar a empresa pública de eletricidade do Haiti para assumir as tarefas de manutenção no futuro.

Os fundos do GEF e do BID estão também financiando vários projetos de energia renovável (ER) e eficiência energética (EE) nas Bahamas e em Barbados.

Nas Bahamas, o BID forneceu mais de US$ 1,4 milhão em assistência técnica para avaliar o potencial de ER e EE e fortalecer as instituições que regulam o setor energético. Além disso, o BID e o GEF aprovaram US$ 1,5 milhão em doações para implementar programas piloto de ER e EE em prédios públicos, comerciais e residenciais nas Bahamas. Esses programas usarão sistemas fotovoltaicos que são conectados à rede elétrica, aquecedores de água por energia solar em residências e lâmpadas fluorescentes compactas para ajudar a reduzir o uso de lâmpadas incandescentes. A implementação do projeto começará em julho de 2010.

Em Barbados, o BID aprovou mais de US$ 2 milhões em assistência técnica para promover o Marco de Energia Sustentável de Barbados, que é um elemento central da estratégia do governo para reduzir a dependência de combustíveis fósseis. O BID, por meio de financiamento do GEF, fornecerá também US$ 1 milhão em doações para projetos pilotos nas áreas de eficiência energética, promoção do uso de lâmpadas fluorescentes compactas e medidores de energia, além de sistemas fotovoltaicos e microgeração eólica.