News banner image

Notícias

Com apoio do BID e CAIXA, Palmas lança Plano de Ação Sustentável

Diagnóstico aponta necessidade de estimular o potencial turístico ainda não explorado. Mobilidade urbana está entre as áreas críticas

Palmas, Tocantins - O Plano de Ação Palmas Sustentável foi lançado hoje pela Prefeitura de Palmas com o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), da CAIXA e do Instituto Pólis, por meio da Iniciativa Cidades Emergentes e Sustentáveis (ICES) do BID. O processo envolveu etapas de diagnóstico, priorização de áreas e o desenvolvimento de soluções sobre os desafios de desenvolvimento de médio e longo prazo da cidade.

Palmas é a quarta cidade brasileira a receber o plano de ação dentro da parceria com a CAIXA, e conta com bons indicadores socioeconômicos se comparada a outras cidades da América Latina e Caribe. Entretanto, possui desafios importantes a serem vencidos para garantir a sustentabilidade de seu território no longo prazo.

A cidade apresenta potencialidades para o crescimento econômico, com abundância de recursos hídricos e grande potencial para geração de energia limpa, bons índices de conectividade, gestão adequada da dívida e das obrigações fiscais, alta expectativa de vida e baixas taxas de mortalidade infantil.

Entretanto, alguns indicadores merecem atenção imediata para o desenvolvimento sustentável da cidade como mobilidade urbana, competitividade da economia, uso do solo, ordenamento territorial , desigualdade urbana, gestão pública moderna e autonomia financeira. Uma pesquisa de opinião pública demonstra ainda preocupação da população com saúde, segurança, renda e educação. Essa pesquisa foi utilizada como um dos elementos para a priorização dos temas selecionados na cidade.

O estudo indica que, para alcançar seus objetivos, a cidade de Palmas deve estimular o potencial turístico ainda não explorado e incentivar novas modalidades de negócios para impulsionar a economia e desenvolvimento da região. É preciso ainda buscar sinergias e somar esforços com diferentes esferas de governo e da sociedade que permitirão ampliar a governabilidade e buscar soluções concretas para problemas prementes e de grande impacto na qualidade de vida dos cidadãos, como a mudança no ordenamento territorial buscando tornar a cidade mais compacta.

Sobre a ICES

Para atender as necessidades e desafios das cidades emergentes, o BID criou a Iniciativa Cidades Emergentes e Sustentáveis (ICES), que desenvolve diagnóstico e propõe ações urbanas focadas em três dimensões da sustentabilidade: ambiental e mudança climática; urbana; e fiscal e governança.

Atualmente a ICES realiza projetos em mais de 45 cidades da ALC, dentre as quais 25 já se encontram em fase de execução dos Planos de Ação. Até o final de 2015, o objetivo é que a Iniciativa esteja presente em 52 cidades, beneficiando uma população estimada em 52,8 milhões de pessoas na América Latina e Caribe.