News banner image

Notícias

BID aprova US$ 60 milhões para apoiar a inclusão social e produtiva de cerca de 40 mil jovens do Estado do Rio em comunidades pacificadas

Iniciativa buscará reduzir a gravidez precoce e a evasão escolar, assim como melhorar o acesso ao mercado de trabalho

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) aprovou empréstimo que apoiará o Governo do Estado do Rio de Janeiro na implantação e no fortalecimento de uma agenda de política pública dirigida aos jovens de 15 a 29 anos que vivem em comunidades em processo de pacificação. 

Em quatro anos o Programa prevê melhorar as condições de vida de aproximadamente 40 mil jovens destas comunidades, que passarão a contar com serviços e programas sociais acessíveis e adequados às suas necessidades. A proposta está desenhada para ampliar a oferta de atividades nas áreas de educação, saúde, trabalho, cultura, esportes e lazer para melhorar a inclusão social e ampliar as oportunidades para estes jovens. Os recursos do BID serão complementados por US$ 24,5 milhões do governo estadual, elevando o total do financiamento para US$ 84,5 milhões. 

Nos últimos anos a desativação de redes de narcotráfico e a ocupação de favelas por unidades pacificadoras tem restituído a cidadania a áreas em que antes o estado não estava presente. Embora os investimentos e as ações públicas estejam sendo instalados paulatinamente nestas comunidades, os jovens representam um seguimento que dispõe de poucos recursos e oportunidades que lhes permita construir uma trajetória de vida plena e digna.

Jovens destas comunidades carentes vivem em condições que prejudicam o seu desenvolvimento e seu futuro, já que eles continuam a ser as principais vítimas da violência. O desemprego entre os jovens de 15 a 24 anos de idade chega a 22%, o dobro da média nacional. Somente 53% dos jovens de 19 anos de idade completaram o ensino médio.  

“Com este programa buscaremos promover o encontro entre a oferta de serviços e ações de importância para esta fase da vida com a demanda e as necessidades dos jovens que residem nestas comunidades. A proposta é criar um modelo de atenção integral que permita ao jovem fazer frente às dificuldades com que se defronta em seu dia a dia”, afirma Rita Sório, especialista que lidera o projeto do BID.

Para isso, se buscará motivar ao máximo o interesse dos jovens para que não só participem nas atividades oferecidas por diferentes setores, como também permaneçam conectados para que os resultados possam ser alcançados. Espera-se entre outras conquistas, reduzir a gravidez precoce entre adolescentes e a evasão escolar; aumentar as oportunidades de inserção produtiva e acesso ao trabalho; e apoiar os jovens no cumprimento de medidas judiciais e socioeducativas.

O financiamento está alinhado com os objetivos do Banco e com a estratégia para o Brasil, que tem por mote a redução da pobreza, a promoção da inclusão social e maior igualdade, completa Rita.

O prazo de empréstimo é de 25 anos, com prazo de carência e de desembolso de 4 anos e taxa de juros vinculada a LIBOR.