News banner image

Notícias

Argentina impulsionará setor agrícola com assistência do BID

A Argentina, um dos quatro maiores exportadores mundiais de alimentos, impulsionará ainda mais o crescimento sustentável do setor agrícola, fortalecendo seu sistema de inovações para o desenvolvimento de novas tecnologias, apoiando pequenos e médios produtores e implementando melhorias em sustentabilidade ambiental com um empréstimo de US$ 170 milhões do Banco Interamericano de Desenvolvimento. O governo argentino fornecerá mais US$ 43 milhões em fundos de contrapartida locais.

O empréstimo ajudará o Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária (INTA) a apoiar o sistema de inovações do setor, aumentar sua capacidade de gerar e transferir novas tecnologias, produtos e processos, ampliar a cobertura dos serviços de extensão rural e centrar mais atenção em pequenos produtores.

O programa deve ajudar a manter altas taxas de produtividade agrícola e levar pelo menos 40% dos agricultores argentinos a adotar tecnologias apoiadas pelo INTA com o objetivo de estimular o uso sustentável de recursos naturais.

Cerca de US$ 88 milhões serão destinados a ampliar a capacidade de pesquisa e desenvolvimento do INTA, aumentando e melhorando sua produção técnica e científica. Outros US$ 17 milhões serão usados para promover contatos e integração com outras instituições públicas e privadas, tanto locais como estrangeiras.

O programa dedicará US$ 43 milhões à difusão do conhecimento gerado para melhorar a transferência de tecnologia e os processos de extensão, com ênfase especial na agricultura familiar, a fim de promover o uso de tecnologias adequadas a cada área. Desenvolverá ainda conselhos de extensão rural e redes de pesquisa locais com a participação da sociedade civil, inclusive as comunidades indígenas.

Os recursos também financiarão a construção de um prédio sede para o INTA com o objetivo de reunir a administração em um único local, levando a grandes economias em aluguéis de escritórios e uma redução de 30% nos custos com eletricidade. Além disso, os 29 sistemas de gestão existentes serão fundidos em cinco, melhorando o acesso a informações e permitindo um corte de US$ 0,8 milhão em despesas de comunicações e transferências.

O empréstimo do BID tem prazo de 25 anos, com período de carência de cinco anos e taxa de juros variável baseada na Libor.