News banner image

Notícias

Mais de 2.700 participantes registrados no encontro internacional convocado pelo BID para mobilizar capital social e voluntariado na América Latina, em 22-23 de maio no Chile

SANTIAGO DO CHILE – Despertou grande interesse a notícia da realização do encontro internacional "Mobilização do capital social e do voluntariado da América Latina", a realizar-se nesta cidade nos dias 22 e 23 de maio. O encontro está sendo organizado pelo governo do Chile e pela Iniciativa Interamericana de Capital Social, Ética e Desenvolvimento do Banco Interamericano de Desenvolvimento, com o apoio dos governos da Espanha, França e Noruega.

A inscrição de mais de 2.700 representantes de organizações internacionais e de toda a América Latina interessados em participar do encontro, que se realizará no Centro de Convenções Diego Portales, demonstra o grande potencial existente na região nesta matéria.

O presidente do Chile Ricardo Lagos, que inaugurará o encontro, indicou sua disposição de apoiar e estimular sistematicamente a ação voluntária, dado seu grande valor para o desenvolvimento e a sociedade.

O proeminente filósofo francês Edgar Morin, que abrirá a reunião, disse que "as atividades voluntárias, que desempenham um papel importante nas catástrofes, deveriam desempenhá-lo também em tempos normais". Qualificou de "recursos humanos formidáveis " essas "boas vontades" da sociedade civil.

Por sua vez, o presidente do BID Enrique V. Iglesias ressaltou que "a sociedade civil pode dar contribuições muito importantes na luta contra a pobreza".

O painel de abertura estará a cargo de José Antonio Ocampo, secretário geral da CEPAL, Jaime Montalvo Correa, presidente do Conselho Econômico e Social da Espanha, Carmelo Angulo Barturen, representante do  PNUD na Argentina, e Bernardo Kliksberg, coordenador geral da Iniciativa Interamericana do BID.

Estima-se que o terceiro setor de atividades voluntárias gera em muitos países desenvolvidos mais de 5% do produto bruto. No Chile, observa Bernardo Kliksberg, "líderes governamentais, empresários, dirigentes sindicais, líderes do mundo do trabalho voluntário, comunidades religiosas,  amplas representações de jovens, universidades e outras organizações buscarão os meios de acionar esta força poderosa em benefício da ética e do desenvolvimento da região".

Os participantes conhecerão experiências escolhidas de toda a região sobre "Como impulsionar o trabalho voluntário", "Como construir capital social", "O papel do capital social e do voluntariado na governabilidade para o desenvolvimento", "O trabalho voluntário e as empresas".   Painéis especiais discutirão os desafios latino-americanos e mundiais nesses temas.

Entre os palestrantes encontram-se Liz Burns, presidente da International Association for Volunteering; Ad de Raad, coordenador executivo de United Nations Volunteers; Juan Claro, presidente da organização do empresariado chileno; Bruce Harris, diretor de Casa Alianza; Ramón Romero, assessor sobre épProfessora da Universidade de Oslo; Martín Hopenhayn, da CEPAL; Lindon Robinson, da Universidade de Michigan; e Maria Teresa Szauer, diretora de Desenvolvimento Sustentável da Corporação Andina de Fomento (CAF).

Simultaneamente ao encontro, no dia 23 será realizado o seminário "Renovando o capital social através do serviço voluntário juvenil", organizado pelo Programa do BID de Desenvolvimento e Extensão para a Juventude e pela Iniciativa Interamericana de Capital Social, Ética e Desenvolvimento. Haverá também uma exposição de contribuições do voluntariado juvenil.

Contato de imprensa