Notícias

Com apoio do BID, São Bernardo do Campo inaugura hospital de urgência com 250 leitos

Investimentos ampliam capacidade de resposta ao COVID-19 da cidade, que registra mais de 800 casos confirmados

A Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo inaugurou hoje o Hospital de Urgência no âmbito do programa de fortalecimento do SUS na cidade, apoiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A unidade vai priorizar os casos de COVID-19, com a oferta de 250 leitos e será referência no atendimento de urgências e emergências.

O equipamento é entregue em um momento crucial do enfrentamento da pandemia pela cidade, que já registra 85% de ocupação dos leitos de UTI da rede pública, com mais de 170 pessoas internadas.

Com investimentos de R$ 127 milhões, o hospital foi construído sob padrão internacional de segurança hospitalar e possui sete andares distribuídos em pronto atendimento, serviços e apoio diagnóstico e terapêutico, módulo cirúrgico, módulo pedagógico e módulo de internação para crianças e adultos. Após a pandemia, o hospital realizará cirurgias de baixa complexidade e outros procedimentos de urgência.

A líder de equipe do projeto, Catherine Moura, destacou o ganho coletivo que o hospital representa. “Além do apoio neste momento crise sanitária, o hospital também representa uma conquista coletiva quanto à qualidade da rede de saúde do município e ampliação da oferta de atendimento humanizado para a população, já que se trata de uma ação estruturante de saúde pública”, disse.

O prefeito Orlando Morando conta que o Hospital de Urgência irá disponibilizar o que existe de mais moderno no setor da Saúde para atender os pacientes com o coronavírus, e o mais importante, terá a missão de salvar vidas. “Para isso, iremos contar com uma equipe multidisciplinar preparada para garantir o atendimento para todos aqueles moradores que recorrem a nossa rede municipal de Saúde”, conclui.

A construção do hospital estava prevista em um programa de saúde entre o BID e o município. Com a pandemia, os esforços foram redobrados a fim de que a entrega acontecesse em tempo hábil para cuidar dos pacientes da COVID-19. A Prefeitura Municipal e a Secretaria de Saúde assumiram o compromisso de promover investimentos massivos para fortalecimento do SUS localmente, a fim de melhorar as condições de saúde da população impactando, sobretudo, nas taxas de mortalidade por condições crônicas e na proporção de internações hospitalares sensíveis à atuação da atenção básica.

O Banco apoiou todo o planejamento técnico e operacional do programa, que inclui a estruturação da atenção especializada de alta e média complexidade e o fortalecimento do modelo de atenção em redes de atenção em saúde. Espera-se que sejam contratados 1.500 funcionários para a gestão do hospital.

Além da aceleração e flexibilização de processos para que ocorrem entregas como o hospital em São Bernardo do Campo, operações vigentes na área de saúde financiadas pelo BID no Brasil estão tendo seus recursos redirecionados para o enfrentamento da pandemia.

Operações em outras áreas também estão passando por redirecionamento emergencial de recursos, de acordo com o representante do BID no Brasil, Morgan Doyle. “Além do redirecionamento e flexibilização de uso de recursos, temos apoiado nossos parceiros nas compras internacionais emergenciais, seja pela compra direta ou por métodos simplificados, assim como ajudando a encontrar fornecedores, uma grande dificuldade para muitos gestores públicos. Estamos concentrando todos os nossos esforços para que o Brasil possa salvar vidas e para a sua recuperação econômica pós pandemia”, disse.

Áreas prioritárias para enfrentar a pandemia

Além da flexibilidade nas operações em execução e o redirecionamento de recursos, o BID definiu quatro áreas como prioritárias para novas operações a fim de ajudar os países durante a pandemia assim como no período de recuperação da economia e da produtividade.

As áreas compreendem a resposta imediata à saúde pública, oferecendo aos países apoio de preparação e resposta sanitária; medidas para proteger a renda das populações mais afetadas por meio de programas de transferência ou subsídios; apoio a PMEs, que representam 70% dos empregos na região, com programas de financiamento; e apoio aos países na elaboração e implementação de medidas fiscais para financiar a resposta à crise.

Sobre o BID

O Banco Interamericano de Desenvolvimento tem como missão melhorar vidas. Fundado em 1959, o BID é uma das principais fontes de financiamento de longo prazo para o desenvolvimento econômico, social e institucional da América Latina e do Caribe. O BID também realiza projetos de pesquisa de vanguarda e oferece assessoria em políticas, assistência técnica e capacitação aos clientes públicos e privados em toda a região.