News banner image

Notícias

BID triplica volume de empréstimos com resultados voltados para gênero em dois anos

Em dois anos, Política de Gênero do BID faz avanços em investimentos diretos em igualdade de gênero, assim como em outros projetos do Banco

O presidente do BID, Luis Alberto Moreno, fez um balanço da Política Operacional sobre a Igualdade de Gênero no Desenvolvimento, depois de dois anos de implementação. Neste período, o Banco triplicou o volume de empréstimos para governos com indicadores de gênero, para chegar a 31% do total de empréstimos do Banco em 2012. No período 2006-2010, apenas 9% dos empréstimos incorporam esses indicadores.

Parte desse crescimento se deve à incorporação de indicadores de gênero em projetos em setores como o comércio, infraestrutura, gestão fiscal e municipal, que anteriormente não incluíam esta perspectiva. Em 2010, apenas 6% dos projetos desses setores levaram em conta indicadores de gênero em suas operações, em comparação com 20% em 2012. Enquanto isso, mais da metade (54%) dos projetos sociais do BID já incorporam indicadores de gênero em seus projetos, um aumento de mais de o dobro em relação a 2010.

Além de incorporar indicadores de gênero em todas as suas operações, o Banco aumentou seus empréstimos e subvenções destinadas a projetos especificamente relacionadas com a igualdade de gênero. Um dos principais projetos é o Cidade Mulher, que foi criado quatro centros de capacitação para mulheres em El Salvador e prevê a construção de mais dois centros nos próximos meses, e assim o programa beyondBanking, é uma janela para o setor privado do BID para fornecer até US $ 50 milhões em linhas de crédito para pequenas e médias empresas lideradas por mulheres.

O BID é a primeira instituição multilateral financeira que incorpora a perspectiva de gênero em suas garantias processuais, introduzindo mecanismos para assegurar que as operações do Banco não tem um impacto negativo sobre a igualdade de gênero.

Olhando para o futuro, o presidente Moreno salientou que estes dois anos de implementação da Política tem servido para identificar as boas práticas e melhorar os projetos do Banco. "Nós sabemos que temos um alcance notável, mas que não nos satisfaz. Há ainda um longo caminho a percorrer”, disse o presidente ao observar que, nos próximos anos, o BID trabalhará para melhorar ainda mais esses indicadores.