Notícias

BID Lab, Fundação Lemann e Imaginable Futures lançam programa de soluções pedagógicas

CHAMADO IMPULSIONAR, O PROGRAMA PROMOVERÁ A CONEXÃO ENTRE AS REDES DE EDUCAÇÃO, ORGANIZAÇÕES SOCIAIS E EDTECHS (STARTUPS DE EDUCAÇÃO) PARA DESENVOLVER SOLUÇÕES PEDAGÓGICAS E DIGITAIS;  

SERÁ LANÇADO UM EDITAL, COM INSCRIÇÕES DE 9 A 25 DE JUNHO, PARA SELECIONAR ORGANIZAÇÕES DE IMPLEMENTAÇÃO E FORMAÇÃO E REDES MUNICIPAIS QUE OFEREÇAM ENSINO FUNDAMENTAL (ANOS FINAIS). 

A educação brasileira foi amplamente impactada pela pandemia, principalmente pelo fechamento das escolas físicas, o que trouxe importantes reflexos na aprendizagem dos estudantes. O desafio da educação, e sobretudo das redes públicas de ensino, atualmente, é oferecer soluções para reduzir defasagens de aprendizagem, aumentar o interesse dos estudantes e mantê-los na escola, mesmo com aulas não presenciais. O Impulsionar é uma iniciativa da Fundação Lemann, Imaginable Futures - organização filantrópica internacional focada em aprendizagem - e BID Lab, braço de inovação do Grupo Banco Interamericano de Desenvolvimento, e realizado por Quintessa e Instituto Reúna. O programa se propõe a oferecer soluções pedagógicas e tecnológicas para as redes municipais brasileiras para reduzir e prevenir lacunas de aprendizagem em Língua Portuguesa e Matemática de estudantes do 6º ao 9º ano.  

As soluções do programa serão construídas a partir de um modelo pedagógico, com o apoio de organizações educacionais que oferecem serviços de implementação, formação de professores e gestores, e recursos educacionais tecnológicos, considerando a metodologia do ensino não presencial. O principal objetivo do Impulsionar é conectar empresas de tecnologia que atuam com educação – as edtechs – com as redes públicas e as organizações de implementação e formação para desenvolver e multiplicar soluções pedagógicas e digitais. Atualmente, existem no Brasil 449 edtechs ativas, mapeadas no StartupBase.  

Para isso, será lançado um edital com inscrições de 9 a 25 de junho de 2021, para seleção de organizações de implementação e de formação, que devem indicar redes de ensino públicas para participar da seleção. Serão aprovadas organizações que atendam aos critérios de seleção e que também tenham redes indicadas aprovadas no processo seletivo. O programa será implementado, inicialmente, em seis redes municipais de ensino. Serão aceitas indicações de todo o Brasil, com o objetivo de que 50% das redes sejam do Norte e/ou Nordeste.  No segundo semestre de 2021, será feita a chamada para as edtechs, cujo processo seletivo será conduzido pelas Redes de Ensino.  

A iniciativa se dá em um contexto especialmente desafiador para a educação brasileira: em 2020, durante a pandemia da Covid-19, triplicou o risco de abandono escolar e o índice de aprendizado caiu 72,5%, segundo um estudo organizado pelo BID com alunos da rede estadual de São Paulo. Em outras regiões do país, estima-se que os impactos sejam de magnitude similar.  

Para o BID, esta iniciativa demonstrará, na prática, o poder da digitalização e da inovação no enfrentamento de questões latentes na região e exacerbadas pela pandemia, como é o acesso à educação. É esse, inclusive, um dos pilares da Visão 2025 – estratégia do Grupo BID para apoio à recuperação econômica da América Latina e Caribe. “Muitas vezes pensamos em tecnologia e inovação como exclusividade de escolas caras, quando a realidade é que essas novas ferramentas podem, justamente, oferecer saídas custo-efetivas úteis para todos, inclusive para os alunos mais carentes. Nossa parceria com a Fundação Lemann, referência em educação, e com a Imaginable Futures, destaque no ecossistema de inovação, permitirá justamente democratizar o uso dessas soluções”, afirma Morgan Doyle, representante do Grupo BID no Brasil.  

“Precisamos de ações concretas em 2021, pois temos um risco alto de evasão escolar e dificuldade de aprendizagem dos estudantes com o ensino não presencial. Em uma pesquisa que encomendamos ao Datafolha, 73% dos educadores disseram que vão utilizar mais tecnologia no ensino do que usavam antes da pandemia. Ou seja, a tecnologia veio para ficar na educação e pode nos ajudar a reverter o quadro de defasagem de aprendizagem dos estudantes com a pandemia”, diz o diretor executivo da Fundação Lemann, Denis Mizne. 

“Acreditamos na força da inovação e da ação coletiva para enfrentar o desafio da crescente desigualdade na educação no Brasil, acentuado pela pandemia. Estamos animados com o lançamento do programa Impulsionar pela colaboração entre startups, secretarias de educação e educadores para enfrentar o desafio da defasagem juntos. É um programa importante também para consolidar a nossa parceria com a Fundação Lemann e BID para suportar o ecossistema de inovação no Brasil", diz Fabio Tran, Venture Partner da Imaginable Futures.   

"Para o Quintessa, que acelera startups de impacto (incluindo edtechs) há 12 anos, o Impulsionar é uma grande oportunidade de conectar estas soluções inovadoras a uma pauta pública urgente. É uma iniciativa inédita para nós e com o maior potencial de geração de impacto positivo na educação. Neste projeto, o nosso papel é facilitar a conexão entre todos os atores envolvidos, oferecendo nossas metodologias e expertise para a implementação do programa", diz Gabriela Bonotti, Diretora do Quintessa. 

Juntos, BID Lab, Fundação Lemann e Imaginable Futures investirão US$ 2,36 milhões (cerca de R$ 12,4 milhões) no Impulsionar , dos quais US$ 700 mil são doados pelo BID Lab e US$ 1,66 milhão aportados pela aliança formada entre a Fundação Lemann e a Imaginable Futures. Os recursos serão empregados em iniciativas que promovam o uso de tecnologia e inovação nas escolas públicas e na construção de modelos que poderão ser replicados pelas redes municipais e estaduais em todo o país.  

Projeto Piloto em MG  

Parte da verba prevista pelo BID será investida em um programa piloto, desenvolvido em parceria com a Fundação Lemann, a Imaginable Futures e o Governo do Estado de Minas Gerais. O programa será executado ao longo de quatro meses em Minas Gerais e deverá beneficiar diretamente ao menos 150 mil alunos, de 300 escolas estaduais, localizadas em áreas de vulnerabilidade social.  

O programa será implementado pela edtech brasileira Movva, presidida por Guilherme Lichand, membro da Rede de Líderes da Fundação Lemann. O projeto foi selecionado em 2020 na GESAwards, a maior competição de startups do mundo,  e atuará com o uso de “nudgebots” – robôs que disparam mensagens redigidas usando técnicas comportamentais para estimular alunos a frequentarem as aulas ou a estudarem, e melhorarem seu rendimento educacional. No projeto piloto, as mensagens serão enviadas para estudantes de aproximadamente 300 escolas estaduais de Minas Gerais.  
 

Sobre a Fundação Lemann 

A Fundação Lemann acredita que um Brasil feito por todos e para todos é um Brasil que acredita no seu maior potencial: gente. Isso só acontece com educação de qualidade e com o apoio a pessoas que querem resolver os grandes desafios sociais do país. Nós realizamos projetos ao lado de professores, gestores escolares, secretarias de educação e governos por uma aprendizagem de qualidade. Também apoiamos centenas de talentos, lideranças e organizações que trabalham pela transformação social. Tudo para ajudar a construir um país mais justo, inclusivo e avançado. Saiba mais em: fundacaolemann.org.br. Siga-nos nas redes: Twitter, Instagram, Facebook e LinkedIn.  

Sobre a Imaginable Futures 

A Imaginable Futures é uma empresa global de investimento filantrópico que acredita no poder do aprendizado para desbloquear o potencial humano e, nesse sentido, se propõe a fornecer a cada educando a oportunidade e as ferramentas necessárias para imaginar e concretizar um futuro melhor. Ao adotar uma abordagem de sistemas para resolver desafios complexos de educação, a Imaginable Futures trabalha em parceria com vários setores da sociedade para impulsionar a trajetória de estudantes de todas as idades. 

Com o sólido compromisso de estabelecer alianças locais e cocriar com aqueles a quem servimos, a Imaginable Futures capacita educandos, famílias e comunidades para se tornarem agentes de mudança do futuro. A Imaginable Futures, que tem administração global e operações locais no Brasil, Quênia e Estados Unidos, investiu US $200 milhões em mais de 125 parceiros na África, América Latina e América do Norte, bem como na Índia, com nossa organização irmã Omidyar Network India. A Imaginable Futures é um empreendimento do Grupo Omidyar. Visite imaginablefutures.com e siga-nos em @imaginablefut.  

Sobre Quintessa 

O Quintessa existe para que empresas sejam relevantes na solução dos desafios sociais e ambientais centrais do nosso país. Desde 2009, Impulsionar startups que resolvem desafios socioambientais e realiza iniciativas que promovem as agendas de inovação, impacto positivo e ESG para grandes empresas, investidores, institutos e fundações. Ao longo dos mais de doze anos de experiência, o Quintessa apoiou mais de 200 negócios de impacto de destaque em áreas como educação, saúde, meio ambiente, cidades sustentáveis e inclusão. Conheça mais: www.quintessa.org.br 

Sobre Instituto Reúna 

O Instituto Reúna é uma organização sem fins lucrativos criada para garantir a qualidade e consistência na educação básica. Partindo do desafio de implementar a Base Nacional Comum Curricular, o Reúna desenvolve, junto de uma rede ampla de parceiros, serviços técnico-pedagógicos em quatro frentes de atuação: formação, material didático, currículo e avaliação. Cada uma dessas iniciativas apoia o sistema educacional a garantir a aprendizagem de qualidade a que todos os alunos brasileiros têm direito. 

Sobre o BID Lab  

BID Lab é o laboratório de inovação do Grupo do Banco Interamericano de Desenvolvimento, a principal fonte de desenvolvimento, financiamento e know-how para melhorar a vida na América Latina e no Caribe. O objetivo do BID Lab é Impulsionar r a inovação para a inclusão na região, mobilizando financiamento, conhecimento e conexões para co-criar soluções capazes de transformar a vida de populações vulneráveis afetadas por fatores econômicos, sociais ou ambientais. Desde 1993, o Laboratório do BID aprovou mais de US$ 2 bilhões em projetos implantados em 26 países da América Latina e Caribe.  

Contato de imprensa
Mais Informações

João Paulo Cossi (joaoc@iadb.org)