Notícias

BID anuncia medidas para inserção da América Latina e do Caribe no comércio internacional
  • Fortalecer cadeias regionais de valor no hemisfério poderiam aumentar suas exportações para os Estados Unidos em US$ 70 bilhões

BARRANQUILLA, Colombia -- O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) colocará à disposição de países e empresas da América Latina e do Caribe uma série de ferramentas financeiras e não financeiras, buscando apoiar sua integração internacional. Estas medidas buscam impulsionar a recuperação econômica pós-pandemia dos países da região, conforme anunciou hoje o presidente do BID, Mauricio Claver-Carone.

O pacote de medidas inclui empréstimos com e sem garantia soberana, financiamento não-reembolsável para programas de cooperação técnica e serviços de assessoria financeira.

O anúncio foi feito durante um seminário virtual sobre cadeias regionais de valor, durante a Reunião Anual do BID, que este ano acontece em formato virtual, na cidade colombiana de Barranquilla.

"A América Latina e o Caribe devem se esforçar para alcançar uma maior integração regional que, por sua vez, permita uma inserção mundial mais eficiente", disse Claver-Carone. "A Colômbia já é a sede da relocalização de serviços tecnológicos, partes das cadeias de alimentos e bebidas, plásticos e resinas e tem forte potencial nas indústrias farmacêutica, manufatureira, de insumos para calçados, vestuário e têxteis, bem como na indústria automotiva”. 

"No BID, desempenharemos um papel de parceiro estratégico para apoiar a inserção da Colômbia e de toda a região em cadeias globais e regionais de valor. Além disso, buscaremos apoiar a criação de oportunidades e empregos de que os nossos cidadãos precisam", acrescentou. 

O seminário "Investimento e  fortalecimento de cadeias regionais de valor como motor para a recuperação econômica", contou ainda com a participação do Presidente da Colômbia, Ivan Duque; do Secretário-Geral da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Angel Gurría; do Ministro do Comércio, Indústria e Turismo da Colômbia, José Manuel Restrepo; do Gerente do Setor de Integração e Comércio do BID, Fabrizio Opertti; e de vários executivos do setor privado.

A presença da América Latina e do Caribe nas cadeias globais de valor é pouco expressiva, tanto em termos  de percentuais de participação, quanto das etapas de que participa, e também está concentrada principalmente na exportação de matérias-primas ou derivados. O valor agregado estrangeiro incorporado às exportações dos países da região, por exemplo, variou em torno de 18% a 19% nos últimos 30 anos. Esse mesmo valor chega a 33% para a Ásia e 43% para os países da União Europeia.

A explicação dessa diferença se deve a uma série de razões, incluindo a persistência de políticas restritivas de comércio, altos custos de transporte e atrasos no desempenho logístico, custos elevados de informação e deficiência na infraestrutura de conectividade. O acesso limitado ao financiamento também influencia a falta de inserção das empresas nas cadeias regionais e globais de valor.

Uma maior participação nas cadeias de valor é fundamental para os países que buscam formas de recuperação econômica e a geração de empregos de alta qualidade no pós-pandemia Covid-19. O BID calcula que, ao fortalecer suas cadeias regionais de valor no hemisfério, a América Latina e o Caribe poderiam aumentar suas exportações para os Estados Unidos em US$ 70 bilhões, com crescimentos graduais em setores como têxteis, produtos médicos e automóveis.

As ferramentas oferecidas pelo BID deverão fortalecer as agências de promoção de investimentos, melhorar a infraestrutura física e digital do comércio e avançar a agenda pendente de modernização e harmonização de acordos comerciais e os marcos regulatórios e normativos.

Para cada dólar investido em programas de promoção de exportações, se espera a geração de até US$ 45 em exportações adicionais. Estudos do BID indicam que uma redução de 10% nos custos dos fretes internacionais da América Latina e do Caribe aumentaria os valores de exportações em pelo menos 30%, e os produtos exportados em 25%, tanto na região quanto para os Estados Unidos.

Sobre o BID

A missão do Banco Interamericano de Desenvolvimento é melhorar vidas. Desde sua fundação em 1959, o BID tem sido uma importante fonte de financiamento de longo prazo para o desenvolvimento econômico, social e institucional na América Latina e no Caribe. O BID também conduz projetos de pesquisa de ponta e oferece assessoria política, assistência técnica e treinamento a clientes dos setores público e privado em toda a região.