News banner image

Notícias

BID iniciará consulta pública sobre política de gênero

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) está comprometido com a promoção da igualdade de gênero e a inclusão étnica como princípios para melhorar as condições de vida dos mais pobres entre os pobres. O Banco iniciará a atualização da Política Operacional sobre Igualdade de Gênero no Desenvolvimento com o objetivo de ampliar sua contribuição para promover a equidade e a participação das mulheres na região. A Unidade de Gênero e Diversidade do BID tem o mandato de dar direcionamento estratégico aos programas e à assistência técnica para que sejam incorporados temas de gênero e inclusão étnica nos projetos financiados pelo Banco.

A consulta pública sobre a política de gênero se dividirá em duas fases. Na primeira parte da consulta (de 1º de outubro a 6 de novembro de 2009), será solicitada a avaliação do perfil da política (revisão de conteúdo e proposta de temas) por meio do site do BID na web e de entrevistas com representantes de diversos setores em países da América Latina.

A proposta será divulgada durante a IX Reunião Anual do BID e da Sociedade Civil, que se realizará em novembro de 2009 em Guadalajara, quando será solicitada a opinião dos participantes do evento.

Na segunda parte da consulta, que terá duração de 12 semanas (de 18 de dezembro a 12 de março de 2010), serão solicitados comentários sobre a versão preliminar da Política sobre Igualdade de Gênero no Desenvolvimento.

“O processo de consulta enriquecerá a nova política, a qual refletirá as mudanças e avanços ocorridos na região e proporá mecanismos concretos para assegurar sua aplicação efetiva. Serão enfatizados tanto o investimento direto em áreas estratégicas para a igualdade de gênero como a integração transversal da perspectiva de gênero nos projetos relevantes do Banco”, afirmou Gabriela Vega, especialista em gênero e diversidade do BID.

O plano de consulta pública foi aprovado em 23 de setembro de 2009 pela Diretoria Executiva do BID. No final do processo, os comentários e sugestões recebidos serão levados em conta para a redação da versão preliminar da política que será apresentada no próximo ano.

“A ajuda do Banco é crucial para que se aproveite essa oportunidade de consulta pública para colocar em destaque o tema da igualdade de gênero, a fim de conscientizar, gerar diálogo e reflexão e educar sobre a importância da participação da mulher e do impacto da igualdade de gênero para o desenvolvimento”