News banner image

Notícias

A agricultura peruana ganha impulso com projetos apoiados pelo BID

Durante cinco dias por semana, Liz Villanueva, bióloga do Serviço Nacional de Saúde Agrária (SENASA) do Peru, supervisiona o trabalho com algumas centenas de milhões de moscas-das-frutas. Esses insetos de meio centímetro de comprimento são uma das mais temidas pragas agrícolas mundiais e eram responsáveis por prejuízos de milhões de dólares por perdas de colheitas no Peru a cada ano.

Villanueva está produzindo machos estéreis de moscas-das-frutas, usando uma dieta rica em açúcar e radiação, como parte de um projeto em andamento apoiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Milhões dessas moscas são liberadas em áreas rurais do Peru. Quando acasalam com as fêmeas, levam à produção de ovos inférteis. O projeto tem erradicado com sucesso as moscas-das-frutas em regiões agrícolas importantes desse país andino e contribuído para um aumento das exportações de frutas e verduras em anos recentes.

“Um ano atrás, as frutas pareciam boas por fora, mas por dentro estavam todas bichadas, apodrecidas”, disse Jose Davalos, um agricultor do vale do Ica, uma das áreas agrícolas mais importantes do Peru. “Este ano, as frutas estão lindas. E todas limpas.”

Este é um dos vários projetos que o BID financiou nos últimos 15 anos e que estão contribuindo para aumentar a produção e a renda de milhões de agricultores pobres. Desde 1995, o BID aprovou mais de US$ 140 milhões para financiar projetos voltados a melhorar a competitividade da agroindústria do Peru, um setor que é responsável por 8,3% do produto interno bruto do país e emprega quase um terço de sua força de trabalho.

“A agricultura é um setor estratégico para a economia peruana e nossos programas estão ajudando o país a aproveitar suas vantagens competitivas”, disse Hector Malarin, chefe da Divisão de Meio Ambiente, Desenvolvimento Rural e Gestão de Riscos de Desastres do BID. “Estamos tentando aliviar a pobreza de milhões de pequenos agricultores ajudando-os a obter acesso a novos mercados externos.”

O BID vem trabalhando com o Peru em projetos para controlar e erradicar pragas e doenças específicas, em particular as moscas-das-frutas. O Banco apoiou medidas para reestruturar o SENASA e possibilitar-lhe oferecer serviços de saúde agrícola de qualidade nos âmbitos nacional, regional e local, além de ter financiado compra de equipamentos e capacitação com o objetivo de melhorar seus serviços de fiscalização, quarentena e laboratório.

Como resultado, o Peru erradicou a febre aftosa* e várias regiões e províncias foram declaradas livres de tuberculose y brucelose bovina. O BID também apoiou a expansão de técnicas biológicas de controle de pragas agrícolas para mais de 250.000 hectares de terras, em comparação com 12.000 hectares 15 anos atrás.

A mosca-das-frutas foi completamente erradicada na costa sul do país. De acordo com um estudo de avaliação independente preparado pelo GRADE, um centro de estudos peruano, os produtores de áreas em que a mosca-das-frutas foi erradicada tiveram um aumento de 19% a 41% em sua renda anual e um crescimento de 18% na produção agrícola, e os preços das terras subiram em média 13% em comparação com áreas similares que não haviam se beneficiado de nenhuma intervenção de controle de pragas.

“O impacto desse projeto ultrapassou nossas expectativas. Agora, com a terceira fase do programa, estamos trabalhando para erradicar a mosca-das-frutas em outras regiões do Peru, entre elas Lima, Ancash e La Libertad”, disse Alfonso Tolmos, especialista em desenvolvimento rural do BID no Peru.

Além de trabalhar no controle de pragas agrícolas, o BID também financiou projetos para regularizar a posse de terras e aumentar os registros de terras e emissão de títulos de propriedade. O Banco financiou a criação de sistemas de informação e a contratação e capacitação do pessoal necessário para levar adiante essas iniciativas, em particular os funcionários encarregados de visitar fazendas para verificar a propriedade das terras.

Esse projeto proporcionou segurança jurídica de direito de propriedade a uma maioria de fazendas nas regiões costeiras e parte da área serrana e incentivou os agricultores locais a aumentar os investimentos, de acordo com outra avaliação de impacto realizada pelo GRADE. Desde 1995, esse projeto entregou mais de 1 milhão de títulos de propriedade e regularizou a posse de mais de 500 terrenos comunitários, muitos deles habitados por populações indígenas.

O BID também está trabalhando em estreita colaboração com o Ministério da Agricultura para apoiar serviços de acesso aos mercados rurais. O BID ajudou, por exemplo, a melhorar significativamente os números de produção e preços de bens agrícolas nos últimos anos. O Banco também ofereceu financiamento a pequenas associações de agricultores para contratar consultores que as ajudassem a se tornar mais competitivas e mais bem preparadas para comercializar seus produtos no exterior e localmente.

Além disso, o BID apoiou o processo de descentralização do setor agrícola, fortalecendo instituições nacionais e locais, a fim de assegurar prestação de serviços e transferências de recursos mais eficientes.

Na última década, o setor agrícola do Peru cresceu 4% ao ano, beneficiando-se da melhor saúde agrícola e da maior demanda internacional por frutas, verduras e outras commodities agrícolas não-tradicionais. As exportações agrícolas do Peru quase triplicaram nos últimos quinze anos e devem crescer ainda mais quando os acordos comerciais surtirem efeito.

 

(Esta nova versão corrije informação no sétimo parágrafo.)

* Atualmente, 88% do território nacional recebeu reconhecimento da Organização Mundial de Saúde Animal - OIE como livre de febre aftosa ssem vacinação e o resto do pais não registrou incidência da doençca e está em processo de obter reconhecimento internationcional.