Notícias

BID no Brasil promove a inovação aberta com empresas de impacto social

INICIATIVAS SELECIONADAS FORAM APRESENTADAS A PARCEIROS E EXECUTORES DE PROJETOS EM ÁGUA E SANEAMENTO

Brasília - O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) realizou ontem o segundo encontro de sua iniciativa corporativa multissetorial de inovação aberta, ou open innovation, em que busca disseminar e inspirar seus parceiros a adotarem soluções desenvolvidas por empresas jovens – startups e scaleups – dedicadas a resolver problemas de interesse público em todos os setores nos quais o Banco atua.

O Brasil conta com o maior ecossistema de negócios de impacto social da região e oferece um amplo cardápio de inovações em implantação, por vezes disruptivas, dedicadas tanto a resolver problemas como a aprimorar soluções existentes, tornando-as mais ágeis e custo-efetivas. O Banco está apresentando a seus parceiros esse potencial e os próximos passos consistem na facilitação e apoio técnico para aqueles que tenham interesse em implementar soluções específicas para seus projetos.

Na ocasião, foram apresentados quatro exemplos de soluções de água e saneamento em implantação no Brasil, dedicadas à prevenção a eventos climáticos, tratamento de efluentes e detecção de vazamentos. Na sequência foi conduzido um debate sobre os principais problemas enfrentados pelo setor, com o apoio da aceleradora de negócios de impacto Artemísia, instituição parceira da iniciativa, com a coordenação da Divisão de Água e Saneamento do BID.

Cada encontro é dedicado a uma área de atuação do Banco. O primeiro, sobre saúde e educação, aconteceu em 2017. Estão previstos ainda no primeiro semestre de 2018 encontros sobre infraestrutura sustentável e transporte, gestão fiscal e cidades.  

Para o representante do BID no Brasil, Hugo Flórez Timorán, a inovação aberta é o caminho natural para organismos de desenvolvimento e requer trabalho em equipe. “Entendemos que todos tem a ganhar ao trabalharem juntos. Para os governos, assim como para o Banco, essas inovações nos ajudam a pensar novas maneiras de resolver problemas específicos. Para as empresas jovens, essa é a possibilidade de desenvolverem seus negócios e darem escala às suas soluções, que são dedicadas a melhorar vidas”, disse.

Alguns projetos apoiados pelo BID no Brasil já vêm adotando soluções desenvolvidas por govtechs e civitechs, como são conhecidas as empresas dedicadas a serviços públicos. Na área de educação, a aplicação de big data vem apoiando a gestão escolar; em transportes, a tecnologia vem sendo usada para mensurar emissões de carbono de sistemas de transporte coletivo; e em gestão fiscal, soluções de fiscalização via satélite estão ajudando a reduzir filas de espera e a ampliar receitas estaduais.

Sobre o BID

O Banco Interamericano de Desenvolvimento tem como missão melhorar vidas. Estabelecido em 1959, o BID é a principal fonte de financiamento de longo prazo para o desenvolvimento econômico, social e institucional da América Latina e do Carine. O BID também realiza pesquisas de vanguarda e oferece assessoria de políticas, assistência técnica e capacitação para clientes do setor público e privado em toda a região.