Mesoamérica renova seu impulso de integração

segunda-feira, Outubro 25, 2010 - 03:00
A XII Cúpula do Mecanismo de Diálogo e Concertação de Tuxtla realiza-se amanhã, dia 26 de outubro, em Cartagena, na Colômbia, com a participação dos chefes de Estado de Belize, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Panamá, México, Colômbia e República Dominicana. Os mandatários conhecerão os avanços na integração regional impulsionados pelo Projeto Mesoamérica e estabelecerão as prioridades para ações futuras.

América Latina e Caribe devem ter crescimento mais lento nos próximos quatro anos

quinta-feira, Março 19, 2009 - 03:00
Líderes da América Latina e do Caribe prevêem que a renda per capita cairá ou terá um crescimento moderado no período de 2009-2012 e que os governos dependerão mais de financiamentos de instituições internacionais, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Essas expectativas contrastam vivamente com o desempenho econômico recente da região, em que o produto per capita cresceu 4,1% ao ano nos últimos cinco anos.

A Colômbia e o BID

terça-feira, Março 17, 2009 - 03:00
Desde meados da década de 1990, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) tem sido a principal fonte de financiamento multilateral para a Colômbia. Nos últimos 50 anos, o BID aprovou para esse país mais de US$14,8 bilhões em empréstimos e projetos de cooperação técnica não reembolsáveis. Ao longo de sua história, o BID apoiou o governo e o setor privado colombianos em áreas fundamentais para o desenvolvimento, como infra-estrutura, modernização e reforma do Estado, pequena e média empresa, agricultura, energia, proteção ambiental e contra mudanças climáticas.

Finanças responsáveis:

quarta-feira, Dezembro 17, 2008 - 03:00
As microfinanças constituem um setor de rápido crescimento na América Latina principais atores estão explorando a questão das finanças responsáveis, tentando encontrar maneiras para que seus produtos e práticas funcionem tanto para os clientes como instituições financeiras. Os fornecedores, reguladores, investidores e redes de instituições de microfinanças desejam conseguir uma maior sustentabilidade no setor aumentando a responsabilidade. Alguns deles já têm histórias para contar.

Aumenta o uso de moedas latino-americanas

segunda-feira, Junho 23, 2008 - 03:00
Quando, no primeiro trimestre de 2008, as dívidas soberanas do Brasil e Peru foram alçadas ao nível de investimento por agências internacionais de classificação de riscos, as duas nações entraram para o clube exclusivo de ganhadores financeiros cujos outros dois membros latino-americanos eram o México e o Chile. A dívida do México chegou ao grau de investimento 2000, enquanto a do Chile conseguiu atingir esse patamar em 1992.

A América Latina face ao panorama mundial

segunda-feira, Outubro 31, 2005 - 03:00
Muitos temem o grande poder econômico de que se investiu a Ásia devido ao “vício chinês” de comprar dólares, já que existe o risco de uma elevação das taxas de juros e de uma recessão global se essa compra de dólares for interrompida, observou recentemente o economista-chefe do Departamento de Pesquisa do BID, Guillermo Calvo.

Tecnologia a serviço dos pobres

terça-feira, Setembro 6, 2005 - 03:00
Um modelo que liga remessas a uma rede transnacional de empresas, organizações sem fins lucrativos, cooperativas de crédito, instituições de microcrédito e outras instituições financeiras por meio de uma plataforma de cartões de débito e cartões pré-pagos tem apresentado um resultado muito simples: todos ganham.

Tratado de livre comércio México–União Européia abre perspectivas para América Latina

sexta-feira, Julho 30, 2004 - 03:00
O tratado de livre comércio México–União Européia (TLCUEM), que completa quatro anos de existência neste mês de julho, foi a primeira iniciativa de liberalização do comércio da Europa com um país do continente americano e resultou num crescimento de 27% no comércio bilateral. (1)

O efeito multinacional

quarta-feira, Janeiro 21, 2004 - 03:00
Muitas pessoas partem do princípio de que o investimento de firmas multinacionais está ligado a efeitos econômicos negativos no país que as hospeda ou rejeitam a hipótese de que o investimento direto estrangeiro acelera o crescimento da produtividade das empresas nacionais.