Cultura cidadã é a chave para reduzir a violência, diz estudo

Maio 30, 2012
Relatório apoiado pelo BID explora a cultura cidadã como fator de sucesso em longo prazo para a redução da violência Qualquer estratégia bem sucedida para a prevenção da violência deve incluir medidas para reconhecer e mudar comportamentos que respondam a crenças, emoções e fatores culturais, de acordo com um novo estudo apoiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

O Caribe e o BID

Setembro 27, 2010
Os países caribenhos de língua inglesa membros do BID – Bahamas, Barbados, Belize, Guiana, Jamaica e Trinidad e Tobago – e o Suriname, de língua holandesa, são unidos por comércio, geografia, história e tradições. Sua situação econômica e desafios de desenvolvimento, porém, podem variam amplamente.

América Latina e Caribe devem ter crescimento mais lento nos próximos quatro anos

Março 19, 2009
Líderes da América Latina e do Caribe prevêem que a renda per capita cairá ou terá um crescimento moderado no período de 2009-2012 e que os governos dependerão mais de financiamentos de instituições internacionais, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Essas expectativas contrastam vivamente com o desempenho econômico recente da região, em que o produto per capita cresceu 4,1% ao ano nos últimos cinco anos.

A Colômbia e o BID

Março 17, 2009
Desde meados da década de 1990, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) tem sido a principal fonte de financiamento multilateral para a Colômbia. Nos últimos 50 anos, o BID aprovou para esse país mais de US$14,8 bilhões em empréstimos e projetos de cooperação técnica não reembolsáveis.   Ao longo de sua história, o BID apoiou o governo e o setor privado colombianos em áreas fundamentais para o desenvolvimento, como infra-estrutura, modernização e reforma do Estado, pequena e média empresa, agricultura, energia, proteção ambiental e contra mudanças climáticas.

Aumenta o uso de moedas latino-americanas

Junho 23, 2008
Quando, no primeiro trimestre de 2008, as dívidas soberanas do Brasil e Peru foram alçadas ao nível de investimento por agências internacionais de classificação de riscos, as duas nações entraram para o clube exclusivo de ganhadores financeiros cujos outros dois membros latino-americanos eram o México e o Chile. A dívida do México chegou ao grau de investimento 2000, enquanto a do Chile conseguiu atingir esse patamar em 1992.  

Latinos do Extremo Oriente

Março 01, 2006
Charo QuesadaQuando um mexicano ou panamenho diz que vai fazer compras no chinês da esquina, não está se referindo ao caso particular de um chinês que, casualmente, abriu uma loja na esquina de sua rua. Em seus países, a loja do chinês na esquina tornou-se uma instituição com uma longa tradição, que oferece um grande e prático estoque de produtos básicos, a baixo custo e com horários de funcionamento amplos.

Uma revolução silenciosa em Chiapas

Fevereiro 01, 2006
  Roger Hamilton O espírito da revolução ainda borbulha no estado de Chiapas, no extremo sul do México. Aparece nos slogans pintados com spray nas paredes e nos discursos feitos na praça principal da graciosa cidade de San Cristóbal de las Casas. As bancas de livros nas calçadas exibem uma abundante oferta de obras sobre revolução e justiça social.  

O vôo das pombas de barro

Fevereiro 01, 2006
Roger Hamilton Os dedos de Albertina López transformam o punhado de barro acinzentado primeiro numa criatura genérica, depois numa forma reconhecível de ave e, por fim, nas linhas inconfundíveis de uma pomba. Ela trabalhava depressa, torcendo e alisando. Enquanto isso, ela descrevia como as mulheres do grupo que ela lidera estão usando o crédito para aumentar a produção e os ganhos.

Uma perspectiva melhor para as microempresas

Fevereiro 01, 2006
Maricela Gamboa, diretora executiva da organização de microfinanças Grameen Chiapas, afirma que perdeu 10 quilos durante os anos aparentemente infindáveis que passou brigando (palavras suas) com o BID para se qualificar para um empréstimo. Nesse período, seu adversário foi Javier Rowe, um especialista em operações do escritório do Banco na Cidade do México. Hoje, ambos se alegram em dizer que isso são águas passadas. Gamboa recebeu Rowe em seu escritório em San Cristóbal de las Casas com um amplo sorriso e um beijo em cada face.

A América Latina face ao panorama mundial

Outubro 31, 2005
Muitos temem o grande poder econômico de que se investiu a Ásia devido ao “vício chinês” de comprar dólares, já que existe o risco de uma elevação das taxas de juros e de uma recessão global se essa compra de dólares for interrompida, observou recentemente o economista-chefe do Departamento de Pesquisa do BID, Guillermo Calvo.