Três organizações de Barbados, Brasil e Nicarágua ganharam o Prêmio Juscelino Kubitschek do BID

Novembro 19, 2013
Candidataram-se ao prestigioso prêmio 496 organizações de 28 países latino-americanos, caribenhos e europeus O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) anunciou hoje que três instituições de Barbados, Brasil e Nicarágua ganharam o Prêmio Juscelino Kubitschek, que reconhece as contribuições de destacados atores em economia e finanças, bem como nos campos cultural, social e científico. 

Mulher latino-americana e caribenha: com mais educação, mas pior remuneração

Outubro 15, 2012
Apesar de ter mais anos de estudo que os homens, as mulheres ainda estão concentradas em ocupações com salários mais baixos, tais como educação, saúde e setor de serviços. Ao comparar homens e mulheres da mesma idade e do mesmo nível educacional, os homens ganham 17% a mais do que as mulheres na América Latina.

FUMIN + BID + CAF Convocam para presentação de propostas Programa Tecnologias para a Inclusão Financeira

Maio 10, 2010
O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o Fundo Multilateral de Investimentos (FOMIN) e a Corporação Andina de Fomento (CAF) estão buscando propostas de projetos que tenham a meta de melhorar o acesso da população de baixa renda a serviços financeiros através da aplicação de soluções tecnológicas inovadoras na América Latina e no Caribe.

A Colômbia e o BID

Março 17, 2009
Desde meados da década de 1990, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) tem sido a principal fonte de financiamento multilateral para a Colômbia. Nos últimos 50 anos, o BID aprovou para esse país mais de US$14,8 bilhões em empréstimos e projetos de cooperação técnica não reembolsáveis.   Ao longo de sua história, o BID apoiou o governo e o setor privado colombianos em áreas fundamentais para o desenvolvimento, como infra-estrutura, modernização e reforma do Estado, pequena e média empresa, agricultura, energia, proteção ambiental e contra mudanças climáticas.

Tecnologia e redes

Dezembro 17, 2008
POR DIEGO FONSECAColocar nossa própria música na web, passando longe das casas de discos. Ligar de um telefone óvel usando a rede da Telefônica, mas sem se conectar com a gigante. Vender artesanato a bom preço, sem ser traído pelo intermediário! E que tal pedir um financiamento para um icroempreendimento a investidores da Europa ou dos Estados Unidos, sentado no sofá da própria sala? Não, Aldous Huxley não voltou para re-inaugurar nenhum fantástico “mundo feliz”, mas a tecnologia está criando um bastante mais simples e,quem sabe, talvez mais divertido.

Luzes e sombras

Dezembro 01, 2005
Milagros Belgrano Rawson  

Tecnologia a serviço dos pobres

Setembro 06, 2005
Um modelo que liga remessas a uma rede transnacional de empresas, organizações sem fins lucrativos, cooperativas de crédito, instituições de microcrédito e outras instituições financeiras por meio de uma plataforma de cartões de débito e cartões pré-pagos tem apresentado um resultado muito simples: todos ganham.

Remessas e tecnologia aumentam a eficácia de transações microfinanceiras

Outubro 19, 2004
Um  modelo que conecta remessas on-line e instituições microfinanceiras foi apresentado recentemente na sede do BID em Washington, D.C. por Atsumasa Tochisako, presidente da Microfinance International Corporation (MFIC). A empresa introduziu o modelo para o envio de remessas a instituições microfinanceiras em El Salvador e planeja expandir-se para vários outros países da América Latina.

Tratado de livre comércio México–União Européia abre perspectivas para América Latina

Julho 30, 2004
O tratado de livre comércio México–União Européia (TLCUEM), que completa quatro anos de existência neste mês de julho, foi a primeira iniciativa de liberalização do comércio da Europa com um país do continente americano e resultou num crescimento de 27% no comércio bilateral. (1)

O perfil do jovem empreendedor na América Latina

Julho 26, 2004
Eles pertencem à classe média, têm diploma universitário, começam a pensar em ter seu próprio negócio aos 25 anos, mas não abrem suas empresas menos de cinco anos depois. Estas são as características do jovem empresário latino-americano, de acordo com recente estudo desenvolvido pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento e que é tema do livro Desarrollo Emprendedor (publicado em espanhol e cuja versão em inglês sairá em outubro de 2004).