BID estende o prazo para participar da convocação de artistas

Janeiro 11, 2018
O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) estendeu o prazo das inscrições para artistas que queiram oferecer novas perspectivas sobre os desafios de desenvolvimento da região, bem como demonstrar a imensa criatividade artística da América Latina e do Caribe.

Três organizações de Barbados, Brasil e Nicarágua ganharam o Prêmio Juscelino Kubitschek do BID

Novembro 19, 2013
Candidataram-se ao prestigioso prêmio 496 organizações de 28 países latino-americanos, caribenhos e europeus O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) anunciou hoje que três instituições de Barbados, Brasil e Nicarágua ganharam o Prêmio Juscelino Kubitschek, que reconhece as contribuições de destacados atores em economia e finanças, bem como nos campos cultural, social e científico. 

BID anuncia parceria com instituições artísticas e organizações da Sociedade Civil para o Programa de Desenvolvimento Cultural 2012

Agosto 08, 2012
Três organizações brasileiras foram contempladas, nas cidades de Campinas (SP), Olinda (PE) e Sarandi (PR) O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) selecionou 50 instituições parceiras e organizações da Sociedade Civil para financiar e prestar assistência técnica aos projetos de desenvolvimento cultural em 26 países.

BID amplia prazo para apresentação de propostas para o Programa de Desenvolvimento Cultural

Fevereiro 07, 2012
Representações do BID na América Latina e no Caribe receberão pedidos de financiamento até 24 de fevereiro de 2012 O Centro Cultural do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) prorrogou o prazo para que instituições e organizações da sociedade civil apresentem propostas de projetos culturais de pequena escala.

BID anuncia parceria com instituições culturais para o Programa de Desenvolvimento Cultural de 2010

Agosto 10, 2010
O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) selecionou 28 projetos de desenvolvimento cultural de pequeno porte em 21 países para financiar e prover assistência técnica. Estes projetos vão receber incentivos de R$ 3.000 e US$ 7000 no âmbito do Programa de Desenvolvimento Cultural do Banco. O programa, promovido pelo Centro Cultural do BID, fomenta o desenvolvimento cultural na América Latina e no Caribe, financiando projetos e trabalhando em estreita colaboração com as agências executoras, como parceiro em cada projeto.

A Colômbia e o BID

Março 17, 2009
Desde meados da década de 1990, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) tem sido a principal fonte de financiamento multilateral para a Colômbia. Nos últimos 50 anos, o BID aprovou para esse país mais de US$14,8 bilhões em empréstimos e projetos de cooperação técnica não reembolsáveis.   Ao longo de sua história, o BID apoiou o governo e o setor privado colombianos em áreas fundamentais para o desenvolvimento, como infra-estrutura, modernização e reforma do Estado, pequena e média empresa, agricultura, energia, proteção ambiental e contra mudanças climáticas.

Cem anos de canto e paixão

Janeiro 01, 2007
O Teatro Colón, um dos melhores teatros líricos das Américas, reconhecido mundialmente por sua acústica e pelo nível dos artistas que passaram por seu palco, está sendo reformado em preparação para os festejos de seu primeiro centenário.

Latinos do Extremo Oriente

Março 01, 2006
Charo QuesadaQuando um mexicano ou panamenho diz que vai fazer compras no chinês da esquina, não está se referindo ao caso particular de um chinês que, casualmente, abriu uma loja na esquina de sua rua. Em seus países, a loja do chinês na esquina tornou-se uma instituição com uma longa tradição, que oferece um grande e prático estoque de produtos básicos, a baixo custo e com horários de funcionamento amplos.

Apoio à arte caribenha

Fevereiro 01, 2006
Embora seja o país mais pobre das Américas, o Haiti abriga extraordinárias riquezas artísticas e culturais. Mesmo sob condições muito difíceis, a cultura continua a desempenhar um papel central na vida cotidiana das pessoas.

Arte latino-americana com raízes japonesas

Fevereiro 01, 2005
Roger HamiltonOs imigrantes japoneses que chegaram à América Latina na virada do século XX não eram em nada diferentes dos imigrantes de outras origens. Pobres, sem oportunidades e freqüentemente sem sorte, eles viam nas Américas uma terra de esperança e oportunidade. Como na maioria os recém-chegados eram agricultores, buscaram trabalho em plantações, primeiro no Peru, depois em outros países, principalmente no Brasil. Muitos esperavam retornar à terra natal depois de alguns anos. Grande parte não voltou.