Três organizações de Barbados, Brasil e Nicarágua ganharam o Prêmio Juscelino Kubitschek do BID

Novembro 19, 2013
Candidataram-se ao prestigioso prêmio 496 organizações de 28 países latino-americanos, caribenhos e europeus O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) anunciou hoje que três instituições de Barbados, Brasil e Nicarágua ganharam o Prêmio Juscelino Kubitschek, que reconhece as contribuições de destacados atores em economia e finanças, bem como nos campos cultural, social e científico. 

Mulher latino-americana e caribenha: com mais educação, mas pior remuneração

Outubro 15, 2012
Apesar de ter mais anos de estudo que os homens, as mulheres ainda estão concentradas em ocupações com salários mais baixos, tais como educação, saúde e setor de serviços. Ao comparar homens e mulheres da mesma idade e do mesmo nível educacional, os homens ganham 17% a mais do que as mulheres na América Latina.

América Latina e Caribe devem ter crescimento mais lento nos próximos quatro anos

Março 19, 2009
Líderes da América Latina e do Caribe prevêem que a renda per capita cairá ou terá um crescimento moderado no período de 2009-2012 e que os governos dependerão mais de financiamentos de instituições internacionais, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Essas expectativas contrastam vivamente com o desempenho econômico recente da região, em que o produto per capita cresceu 4,1% ao ano nos últimos cinco anos.

A Colômbia e o BID

Março 17, 2009
Desde meados da década de 1990, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) tem sido a principal fonte de financiamento multilateral para a Colômbia. Nos últimos 50 anos, o BID aprovou para esse país mais de US$14,8 bilhões em empréstimos e projetos de cooperação técnica não reembolsáveis.   Ao longo de sua história, o BID apoiou o governo e o setor privado colombianos em áreas fundamentais para o desenvolvimento, como infra-estrutura, modernização e reforma do Estado, pequena e média empresa, agricultura, energia, proteção ambiental e contra mudanças climáticas.

Latinos do Extremo Oriente

Março 01, 2006
Charo QuesadaQuando um mexicano ou panamenho diz que vai fazer compras no chinês da esquina, não está se referindo ao caso particular de um chinês que, casualmente, abriu uma loja na esquina de sua rua. Em seus países, a loja do chinês na esquina tornou-se uma instituição com uma longa tradição, que oferece um grande e prático estoque de produtos básicos, a baixo custo e com horários de funcionamento amplos.

A volta da lei seca em Tuti

Fevereiro 01, 2006
Erick Tejada Sánchez Nota do Editor: O autor deste artigo foi o terceiro colocado no Concurso de Bolsas BIDAmérica 2005. Ele estuda sociologia na Universidad Nacional de San Augustín, em Arequipa, no Peru.

Mais crescimento ou mais igualdade?

Setembro 20, 2005
  Investimento crescente, inflação baixa, dólar em queda, equilíbrio fiscal, menor desemprego: há cerca de 18 meses os sinos não param de anunciar boas notícias para a América Latina e o Caribe.  

O impacto da imprensa sobre o bom governo

Agosto 17, 2005
Ao contrário da rádio, da televisão e da Internet, a imprensa escrita proporciona análises mais detalhadas das notícias e serve como “guia para os cidadãos e as autoridades na consecução do bom governo”,  disse o presidente da Associação Interamericana de Imprensa, Alejandro Miró Quesada. Ao falar na Organização dos Estados Americanos (OEA) em Washington, D.C., o jornalista peruano e advogado discutiu a relação entre jornalismo e governança na América Latina e no Caribe.

Disparidades raciais e étnicas nas condições de saúde na América Latina

Maio 03, 2005
A saúde dos afrodescendentes e indígenas é melhor ou pior do que a dos latino-americanos de ascendência européia? Quatro novos estudos sobre raça, etnia e saúde na América Latina mostram alguns resultados inesperados e por vezes contraditórios. 

Quando boas intenções dão maus resultados

Março 18, 2005
Muitos subsídios destinados a ajudar populações carentes beneficiam os ricos em vez dos pobres, afirma o professor Ramon Lopez, do Departamento de Economia Agrícola e de Recursos da Universidade de Maryland, com base em dados empíricos coletados durante 15 anos em dez países da América Latina e do Caribe. Segundo seu estudo, apresentado na sede do BID, entre 1985 e 2000 cerca de  45% do gasto público rural na região destinaram-se a subsídios não sociais, impondo um altíssimo custo à eficiência e à igualdade social e gerando deterioração ambiental em áreas rurais.