Energia sustentável para Haiti, Bahamas e Barbados

Maio 21, 2010
Dezenas de milhares de haitianos que perderam suas casas em Porto Príncipe deixaram a cidade e migraram para aldeias rurais ou acampamentos temporários. Organizações de auxílio internacionais estão nesse momento ajudando a construir clínicas, escolas, centros administrativos e armazéns em algumas dessas aldeias, que ficam localizadas em áreas remotas, sem acesso a serviços básicos.

A Colômbia e o BID

Março 17, 2009
Desde meados da década de 1990, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) tem sido a principal fonte de financiamento multilateral para a Colômbia. Nos últimos 50 anos, o BID aprovou para esse país mais de US$14,8 bilhões em empréstimos e projetos de cooperação técnica não reembolsáveis.   Ao longo de sua história, o BID apoiou o governo e o setor privado colombianos em áreas fundamentais para o desenvolvimento, como infra-estrutura, modernização e reforma do Estado, pequena e média empresa, agricultura, energia, proteção ambiental e contra mudanças climáticas.

Liga de Campeões 2008

Dezembro 17, 2008
POR MATTHEW GEHRKE, RENSO MARTÍNEZY MARÍA CECILIA RONDÓN, MICROFINANCEINFORMATION EXCHANGE, INC. (MIX)As microfinanças tiveram um rescimento explosivo em 2007 na América Latina e no Caribe. Tal desempenho foi impulsionado pela crescente demanda por serviços financeiros entre os microempresários das economias da região que vem tendo um crescimento acelerado e por novos financiamentos tanto em dívida como em depósitos.

Novas experiências turísticas

Dezembro 17, 2008
POR DIEGO FONSECA

Auge da casa própria

Dezembro 17, 2008
POR LUCY LONGER

Crédito, assessoria técnica e autoconstrução

Dezembro 17, 2008
POR LUCY CONGER A maioria das residências na América Latina e no Caribe não são compradas prontas. As pessoas compram suas propriedades e vão ampliando, aos poucos, os espaços onde moram. A poupança feita com tanta dificuldade pelas famílias nos bairros e zonas rurais de baixa renda tornam-se visíveis na forma de tijolos aparentes, sacos de cimento ou varetas de ferro empilhadas diante das casas que estão sendo construídas.

O renascimento de Quito

Agosto 01, 2004
Paul Constance, Quito, EquadorPara onde foram os camelôs? Os equatorianos que se aventuram pelo centro histórico de sua capital nos dias de hoje às vezes precisam esfregar os olhos. Ruas que durante décadas estiveram obstruídas por bancas improvisadas que vendiam de tudo – de comida e roupas a ervas medicinais e peças de automóveis – agora estão abertas, limpas e acessíveis ao pedestre.

Novo começo para velhas cidades

Janeiro 01, 2001
Assim que a última telha é colocada no telhado de uma construção ela começa a se deteriorar. A pintura descasca, a fundação assenta e as paredes racham. Insetos amantes da madeira se instalam e se reproduzem. A vizinhança também passa por um processo de deterioração. Aparecem os buracos nas ruas, os encanamentos começam a vazar e os proprietários dos imóveis se recusam a gastar dinheiro com manutenção.

Pronta para receber investidores

Janeiro 01, 2001
Para ir de carro de um lado de Quito, capital do Equador, até o outro, é preciso passar pelo século 17. Ou pelo menos assim parece aos que pela primeira vez tentam atravessar as ruelas estreitas do distrito histórico do centro de Quito.