Plataformas temáticas

A natureza interdisciplinar de áreas de trabalho como banda larga, segurança do cidadão e cidades sustentá- veis testa a capacidade do Banco para responder com eficácia e eficiência aos desafios estruturais dos países da região. 

Cidades sustentáveis

Agora em seu quarto ano de operações, a Iniciativa de Cidades Emergentes e Sustentáveis (ICES) chegou a 40 cidades e beneficiou cerca de 41 milhões de pessoas. Em 2014, as cidades de Bridgetown (Barbados), Cumaná (Venezuela), San José (Costa Rica), Santiago de los Caballeros (República Dominicana) e Tegucigalpa (Honduras) aderiram ao programa regular (financiado com o capital ordinário do Banco), que atualmente abrange 20 cidades. As cidades de Añelo e Las Heras (Argentina), Florianópolis, Palmas e Vitória (Brasil), Cartagena e Valledupar (Colômbia), Campeche e Xalapa (México), assim como Chiclayo e Huancayo (Peru), foram incluídas no programa adicional.

Para reforçar o impacto e a reprodutividade do programa na região, a ICES continuou a forjar parcerias com instituições locais de desenvolvimento — na Argentina (Fundación YPF), México (BANOBRAS) e Peru (Ministério da Habitação), além das parcerias atuais no Brasil (Caixa Econômica) e na Colômbia (FINDETER). Também foram elaborados acordos com entidades do setor privado, como o Instituto de Tecnologia de Monterrey (México), a Universidade Internacional Menéndez Pelayo (Espanha), Acciona, Cemex, Cisco, Deloitte, Microsoft e a Fundação Rockefeller. Doadores como Áustria, Japão, Coreia, o Fundo Nórdico de Desenvolvimento (NDF) e a Suíça contribuíram recursos adicionais.

Segurança do cidadão

Em 2014, o Programa Especial para a Iniciativa de Segurança do Cidadão continuou a apoiar projetos destinados a aumentar a disponibilidade e qualidade de dados sobre crime e violência. A iniciativa está promovendo o desenvolvimento de projetos pilotos, como: treinamento e inserção de jovens em risco e delinquentes juvenis no mercado de trabalho em El Salvador e nas Bahamas; prevenção de violência doméstica por meio do reforço de serviços completos de saúde e da capacitação econômica das vítimas na Guatemala; e treinamento profissional para jovens vítimas do conflito armado na Colômbia. Além disso, a iniciativa criou avenidas para o diálogo técnico sobre questões críticas como a prevenção da Relatório Anual 2014 do BID 11 violência das gangues, a administração penitenciária e a prevenção da violência contra a mulher. A iniciativa enfatizou o gênero como uma questão interdisciplinar de segurança em vários projetos relacionados a transportes, cidades e juventude.

Banda larga

O Centro de Estudios Avanzados en Banda Ancha para el Desarrollo (Centro de Estudos Avançados em Banda Larga para o Desenvolvimento, ou CEABAD), o primeiro centro de treinamento em banda larga na região, foi inaugurado em 2014. O CEABAD presta apoio aos países da América Central e à República Dominicana oferecendo serviços de treinamento para membros de seus governos e órgãos reguladores.

Há deficiências significativas na região em termos de acesso a banda larga. Para resolver essas disparidades, o Banco lançou a plataforma digiLAC (www.iadb. org/digiLAC) para servir como local de encontro da região, um recurso de informação e um ponto focal de diálogo sobre banda larga e desenvolvimento.

¡Hola, Bienvenido al BID!

Te invitamos a unirte a nuestra lista de correo.