Biografias

Luis Alberto Moreno

Presidente

Luis Alberto Moreno

Luis Alberto Moreno assumiu a presidência do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) em outubro de 2005. Nessa posição, desde então preside também a Diretoria Executiva do Banco, da Corporação Interamericana de Investimentos e do Fundo Multilateral de Investimentos.

Sob a liderança de Moreno, o Banco obteve em 2010 o Nono Aumento de Capital, que ampliou os financiamentos e assistência técnica à região, ao mesmo tempo em que possibilitou um programa de apoio histórico de mais de US$2 bilhões ao Haiti. Esse nível mais elevado de apoio às economias latino-americanas e caribenhas foi acompanhado de aperfeiçoamentos no marco de monitoramento e avaliação da eficácia no desenvolvimento, da criação da primeira Unidade de Salvaguardas Ambientais em um banco multilateral de desenvolvimento e da implementação de uma política operacional para igualdade de gênero.

Durante sua gestão, o BID passou por uma transformação profunda de sua organização, uma mudança geracional significativa e um aumento recorde do número de mulheres em cargos de liderança. Também foram fortalecidos os sistemas de transparência e prestação de contas.

As mudanças promovidas por Moreno intensificaram o trabalho multissetorial da instituição por meio do lançamento de plataformas, programas e iniciativas temáticas transversais com reconhecimento mundial, entre as quais se destacam as iniciativas de Energia Sustentável e Mudança Climática, Cidades Emergentes e Sustentáveis, Oportunidades para a Maioria e ConnectAmericas. Moreno também liderou a organização de mais de 30 cúpulas internacionais, entre elas as Cúpulas Empresarias das Américas em 2012 e 2015.

Sua preocupação com a melhora da qualidade de vida dos cidadãos da América Latina e do Caribe ficou evidente em sua liderança do processo de alívio da dívida de cinco países vulneráveis da região.

A aprovação recente da consolidação das instâncias de apoio financeiro sem garantia soberana do Grupo BID materializou sua visão do papel que uma instituição multilateral deve desempenhar na promoção do desenvolvimento inclusivo e sustentável por intermédio do setor privado.

Antes de incorporar-se ao Banco, Moreno foi embaixador da Colômbia nos Estados Unidos por sete anos. Durante sua gestão, as relações diplomáticas entre Washington e Bogotá fortaleceram-se notavelmente, o que resultou na criação de amplos programas de assistência bilateral que apoiaram uma transformação importante em termos de segurança e desenvolvimento econômico na Colômbia.

Entre os principais êxitos destacam-se seu trabalho na concepção e aprovação do Plano Colômbia, um programa ambicioso de luta contra as drogas e revitalização social e econômica do país, a renovação e ampliação das preferências tarifárias do ATPA (Andean Trade Preference Act), além de ter sido um dos principais impulsionadores das negociações para o Tratado de Livre Comércio entre a Colômbia e os Estados Unidos. Além disso, foram assinados, entre outros, o convênio do programa de desenvolvimento alternativo e o acordo de cooperação alfandegária com os Estados Unidos, com o objetivo de conter o contrabando e fortalecer o comércio. Teve participação destacada na coordenação com a agência para a promoção das exportações e investimentos da Colômbia, a Proexport, para revitalizar o intercâmbio comercial e promover o turismo internacional.

Em seu país, Moreno teve uma carreira notável nos setores público e privado. Como Ministro do Desenvolvimento Econômico, impulsionou uma agenda ambiciosa para melhorar a eficiência e a competitividade. Foi Presidente do Instituto de Fomento Industrial e gestor de políticas de investimento social, entre elas a estratégia de moradia para famílias de baixa renda. No setor privado, assessorou importantes empresas nacionais e investidores estrangeiros e foi produtor executivo de um programa jornalístico líder de audiência na televisão colombiana.

Moreno recebeu inúmeras distinções outorgadas por governos e outras organizações, entre elas a Ordem de Boyacá no grau de Grã-Cruz, condecoração máxima concedida pelo Estado colombiano, a Grã-Cruz da Ordem de Isabel a Católica (Espanha), a Ordem do Jaguar (Guatemala), o Prêmio “Eagle of the Americas” da Associação de Câmaras de Comércio da América Latina, a Medalha de Ouro da Sociedade das Américas, a Distinção Honorífica Juscelino Kubitschek (Brasil), a Ordem José Cecilio del Valle no grau de Grã-Cruz Placa de Ouro (Honduras), o Prêmio Bravo Business Award por Serviços Destacados, o Clinton Global Citizen Award na categoria de Liderança no Serviço Público e o Prêmio Woodrow Wilson ao Serviço Público.

Graduado em Administração de Empresas e Economia pela Florida Atlantic University em 1975, Moreno obteve em 1977 o Mestrado em Administração de Empresas pela Thunderbird School of Global Management. Por suas realizações no campo jornalístico, recebeu em 1990 uma bolsa Nieman da Harvard University para cursar estudos especializados e fazer pesquisas nessa instituição. Moreno tem também os Graus Honorários Humaniorum Litterarum Doctorem e Doctorem in Letters da Georgetown University e do Baruch College, respectivamente, e um Honoris Causa em Administração de Empresas pela Universidad Icesi.

Moreno escreve regularmente em meios de comunicação reconhecidos internacional e regionalmente e participa de diversos Fóruns públicos e privados, alguns dos quais pertencem ao sistema internacional e intrarregional de coordenação e cooperação. Moreno foi reeleito em 14 de setembro de 2015 para liderar o BID por um terceiro mandato. Ele é casado com María Gabriela Sigala.

¡Hola, Bienvenido al BID!

Te invitamos a unirte a nuestra lista de correo.