NOSSA VISÃO

Desde a sua fundação, em 1959, o Banco Interamericano de Desenvolvimento tem se esforçado para encontrar abordagens inovadoras e eficazes para enfrentar desafíos do desenvolvimento econômico, social, institucional e ambiental da América Latina e o Caribe. Nosso trabalho tem ajudado a estabelecer as bases para o desenvolvimento sustentável na região.

 

 

ASSEMBLEIA DE GOVERNADORES

O BID é dirigido pela Assembléia de Governadores. Cada país membro designa um governador, cujo poder de voto é proporcional ao capital subscrito ao Banco pelo país. Geralmente, os Governadores são ministros da Fazenda, presidentes de bancos centrais ou outros funcionários de alto nível.

A Assembléia dos Governadores reúne-se anualmente em março ou abril, para rever as operações do Banco e tomar decisões normativas importantes. A Assembléia também pode convocar encontros extraordinários para resolver questões chave. As decisões tomadas pelos Governadores são registradas na lista de Resoluções Aprovadas. Para conferir as Resoluções aprovadas antes de 2011, clique aqui.

Embora em última instância os Governadores do BID sejam responsáveis pela supervisão das atividades e da administração do Banco, na prática muitas dessas funções são delegadas à Diretoria Executiva.

Publicado recentemente:

Avaliação das necessidades de recursos do Capital Ordinario e do Fundo para Operações Especiais

DIRETORIA EXECUTIVA

A Diretoria Executiva é responsável pela gestão das operações do Banco e, para tanto, pode exercer todos os poderes delegados pela Assembleia de Governadores. A Diretoria Executiva geralmente se reúne uma vez por semana e, entre outras funções, é responsável pela aprovação de propostas de empréstimos e garantias, políticas, estratégias de país, orçamento administrativo, fixação das taxas de juros e tomada de decisões sobre endividamento e outros assuntos financeiros.

A Diretoria Executiva é composta de 14 Diretores Executivos que representam 48países-membros e também inclui 14 Suplentes, que têm plenos poderes para atuar na ausência do titular.

A Diretoria Executiva possui cinco Comitês Permanentes, que examinam e discutem os documentos posteriormente enviados à aprovação da Diretoria. Todas as 14 Cadeiras da Diretoria Executiva estão representadas em cada um dos Comitês Permanentes.

O trabalho da Diretoria Executiva é orientado pelo Regulamento da Diretoria Executiva, Código de Conduta da Diretoria Executiva do BID e Procedimentos Consolidados e Termos de Referência dos Comitês Permanentes.

De acordo com a Política de Acesso à Informação, em vigor a partir de 1o de janeiro de 2011, o Banco divulga publicamente os seguintes documentos da Diretoria Executiva:

  • Agendas das reuniões da Diretoria Executiva, Comitês Permanentes da Diretoria e Comissão de Contribuintes do Fundo Multilateral de Investimentos,
  • Atas das reuniões da Diretoria Executiva, Comitês Permanentes da Diretoria e Comissão de Contribuintes do Fundo Multilateral de Investimentos,
  • Relatórios dos Presidentes dos Comitês Permanentes da Diretoria Executiva,
  • Relatórios Anuais dos Presidentes dos Comitês Permanentes da Diretoria Executiva.

PRESIDÊNCIA DO BID

O presidente do BID é o representante legal da instituição e chefe da equipe de gerentes do Banco, sendo responsável pela condução do dia-a-dia dos negócios da instituição e gerencia suas operações e sua administração, com a ajuda da equipe do Gabinete da Presidência.

O presidente, que é eleito pela Assembléia de Governadores, preside às sessões da Diretoria Executiva mas não vota, exceto em caso de empate.

O presidente também elabora propostas sobre as políticas gerais do Banco para que sejam levadas à consideração da Assembléia de Governadores.

 
Presidente Luis Alberto Moreno
Vice-Presidente Executiva Julie T. Katzman
Vice-presidente de Países Alexandre Meira da Rosa
Vice-Presidente de Setores e Conhecimento Santiago Levy Algazi
Vice-Presidente de Finanças e Administração Jaime Sujoy
Vice-Presidente interino do Setor Privado e Operações sem Garantia Soberana Hans Schulz
Gerente Geral, Fundo Multilateral de Investimentos Nancy Lee
Diretora, Escritório de Avaliação e Supervisão Cheryl W. Gray
Gerente Geral, Departamento de Recursos Humanos Claudia Bock-Valotta
Gerente Geral do Escritório de Planejamento Estratégico e Eficácia no Verónica Zavala
Gerente, Escritório de Relações Externas Marcelo Cabrol
Gerente do Departamento de Países do Cone Sul José Luis Lupo Flores
Chefe do Escritório de Integridade Institucional Maristella Aldana
Economista-Chefe e Gerente do Departamento de Pesquisa José Juan Ruiz Gómez
Assessor Principal da Vice-presidência Executiva Juan Pablo Bonilla
Gerente do Setor Social Hector Salazar
Oficial de Ética Daisy Fernández Seebach
Auditor executivo Jorge da Silva
Gerente Geral do Departamento de Orçamento e Serviços Administrativos Yeshy Edwin
Gerente do Departamento de Países do Grupo Andino Carola Alvarez
Secretária Executiva do Mecanismo Independente de Consulta e Investigação Victoria Márquez-Mees
Gerente General, Departamento de Países do Caribe Gerard S. Johnson
Secretário do Banco Germán Quintana
Chefe de Gabinete da Presidência Luis Alberto Giorgio
Gerente do Departamento de Países da América Central, México, Panamá e República Dominicana Gina Montiel
Gerente do Instituições para o Desenvolvimento Ana María Rodríguez-Ortiz
Gerente, Departamento de País para o Haiti José Agustín Aguerre
Oficial Principal de Risco Gustavo De Rosa
Gerente de Conhecimento e Aprendizagem Federico Basañes
Gerente de Integração e Comércio Antoni Estevadeordal
Gerente, Setor de Oportunidades para a Maioria Luiz Ros
Gerente do Escritório de Alianças Estratégicas Bernardo Guillamon

DEPARTAMENTOS, ESCRITÓRIOS E SETORES DO BID

CONCLUSÃO E RELATÓRIOS

Operacões com Garantia Soberana

Uma vez que o projeto tenha sido executado, as avaliações são realizadas para medir o desenvolvimento dos resultados do projecto. Os Relatórios de Conclusão do Projeto (PCR) contribuem ao aprendizado institucional dentro do BID, e para a prestação de contas do Banco, porque são uma fonte fundamental de informações sobre o desempenho e os resultados de um projeto. No âmbito da Eficácia do Desenvolvimento (DEF), melhorou a produção de PCRs e os resultados estão sendo validados para estabelecer linhas de base para os dados contidos nos PCRs. O BID também produz Avaliações de Impacto (IE) e o Escritório de Avaliação e Supervisão (OVE) também coleta dados de avaliação pós-execução para inclui-los nos relatórios consolidados sobre as tendências gerais dos projetos implementados pelo Banco. Estas conclusões e os resultados serão extremamente úteis para o planejamento e desenvolvimento de projetos futuros com base em resultados empíricos.

Tarefas-chave:


Operacões sem Garantia Soberana

Uma vez que o projeto foi concluído ou está em fase de conclusão, prepara-se um Relatório Ampliado de Supervisão do Projeto (XPSR). O Escritório de Avaliação e Supervisão (OVE) também recolhe dados da avaliação pós-execução para incluir no seu relatório consolidado. Estas conclusões e os resultados serão extremamente úteis para o planejamento e desenvolvimento de projetos futuros com base em resultados reais.

Tarefas-chave:

PAÍSES MEMBROS

Alemanha* Dinamarca*  México* ^
Argentina* ^ El Salvador* ^ Nicaragua* ^ 
Áustria*  Equador* ^  Noruega*
Bahamas* ^ Eslovênia Países Baixos * ^
Barbados* ^  Espanha* ^ Panamá* ^
Bélgica* Estados Unidos* ^ Paraguai* ^
Belize* ^ Finlândia* Peru* ^ 
Bolívia* ^ França*^ Portugal* ^
Brasil* ^ Guatemala* ^ Reino Unido ^
Canadá^ Guiana* ^ República Dominicana * ^ 
Chile* ^ Haiti*^ Suécia * ^
China, República Popular da* ^ Honduras* ^   Suíça * ^
Colômbia* ^ Israel*  Suriname*^ 
Coréia, República da* ^ Itália* ^ Trinidad e Tobago* ^
Costa Rica* ^ Jamaica* ^ Uruguai* ^
Croácia Japão* ^ Venezuela* ^
---------------------------------    
* Membro da Corporação Interamericana de Investimentos
^ Membro do Fundo Multilateral de Investimentos

Países membros mutuários

Países membros não mutuários

O BID foi fundado em 1959 como uma parceria entre 19 países da América Latina e os Estados Unidos. Os países membros originais eram Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Equador, Guatemala, Haiti, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana, Uruguai, Venezuela e Estados Unidos.

Ao longo das décadas seguintes, o Banco ampliou o número de membros, inicialmente somente no Hemisfério Ocidental. Trinidad e Tobago tornou-se membro em 1967, logo seguido de Barbados (1969), Jamaica (1969), Canadá (1972), Guiana (1976) e Suriname (1980). Os países membros não regionais ou de fora do Hemisfério Ocidental, 16 Estados europeus mais Israel e Japão, tornaram-se membros entre 1976 e 1986. Belize passou a membro em 1992 e a Croácia e Eslovênia aderiram como estados sucessores da Iugoslávia em 1993. A República da Coréia tornou-se um país membro em 2005 e a República Popular da China em 2009.

Cuba assinou mas não ratificou os Artigos do Convênio Constitutivo, a carta da instituição, não sendo portanto ainda membro.

Atualmente, o BID é de propriedade de seus 47 estados membros, dos quais 26 são membros mutuários da América Latina e do Caribe. O poder de voto de cada país membro é determinado por sua subscrição de recursos ao capital ordinário da instituição.

Para tornar-se membro regional, o país primeiro tem que ser membro da Organização dos Estados Americanos. Para ser membro não regional, o país deve ser também membro do Fundo Monetário Internacional. Uma segunda exigência em ambos os casos é a subscrição de ações do Capital Ordinário e uma contribuição ao Fundo para Operações Especiais.