Comunicados de imprensa

24/06/2015

Plano de Ação Florianópolis Sustentável é lançado com apoio do BID e CAIXA

Cidade apresenta ótimos índices sociais e de educação. Mobilidade e uso do solo são as áreas mais críticas

Florianópolis, Santa Catarina - A Prefeitura Municipal de Florianópolis lançou hoje o Plano de Ação Florianópolis Sustentável, sob a metodologia da Iniciativa Cidades Emergentes e Sustentáveis (ICES), com apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e da CAIXA. O processo envolveu etapas de diagnóstico, priorização de áreas e o desenvolvimento de soluções sobre os desafios de desenvolvimento de médio e longo prazo da cidade.

Com base nos estudos realizados, o Plano de Ação está fundamentado em cinco eixos principais, de acordo com seu nível de necessidade: mobilidade urbana, gestão integrada do saneamento básico, uso do solo, vulnerabilidade a desastres, e gestão pública moderna. Além deles, o Plano também faz uma série de propostas intersetoriais tendo por base a eficiência energética e o uso de energias renováveis.

A gestão integrada do saneamento básico e abastecimento de água, por exemplo, foram considerados temas que requerem mais atenção da administração municipal, visto que tendem a se agravar seriamente nos próximos anos. As perdas no sistema de abastecimento de água potável em Florianópolis somam aproximadamente 45%, uma situação mais fortemente sentida em épocas de alta temporada turística.

Os bons índices sociais e de educação refletem-se na competitividade do município, considerada boa, mas com possibilidades de avanços. Outra área na qual os indicadores mostram potencial de melhora é o emprego, em especial na questão da formalização da força de trabalho. Embora os dados mais recentes indiquem uma taxa de desemprego de 5%, mais de 40% da força de trabalho não está formalizada.

Apesar de contar com bons indicadores, a dimensão urbana é também aquela que apresenta setores mais críticos, com reflexos importantes para todas as outras áreas da cidade. Os temas de mobilidade e uso do solo foram avaliados como críticos, evidenciando a urgência com a qual devem ser tratados e o risco que eles representam para as áreas avaliadas positivamente.

Na gestão pública, a prefeitura enfrenta importantes desafios institucionais a serem vencidos no sentido de tornar os processos mais eficientes, integrar ações e aumentar sua capacidade de ação no território. A falta de um centro administrativo próprio é um complicador para a superação desses desafios. Além disso, estudos adicionais realizados pela Microsoft no município mostram que o município tem muito a avançar com respeito ao uso da tecnologia na gestão pública, tanto do ponto de vista de infraestrutura quanto de sistemas.

Sobre a ICES

Para atender as necessidades e desafios das cidades emergentes, o BID criou a Iniciativa Cidades Emergentes e Sustentáveis (ICES), que desenvolve diagnóstico e propõe ações urbanas focadas em três dimensões da sustentabilidade: ambiental e mudança climática; urbana; e fiscal e governança.

Atualmente a ICES realiza projetos em mais de 45 cidades da ALC, dentre as quais 25 já se encontram em fase de execução dos Planos de Ação. Até o final de 2015, o objetivo é que a iniciativa esteja presente em 52 cidades, beneficiando uma população estimada em 52,8 milhões de pessoas na América Latina e Caribe.

Para mais informações

Márcia Casseb
Especialista Sênior em Desenvolvimento Urbano e Saneamento
marcias@iadb.org

Contato de imprensa

¡Hola, Bienvenido al BID!

Te invitamos a unirte a nuestra lista de correo.